31 dezembro 2009

ARMAS NAZIS QUE NÃO CHEGARAM A TEMPO...

É durante os conflitos armados que podemos observar os maiores avanços na tecnologia. A motivação extra para ganhar e a investigação em algumas áreas, leva a progressos extraordinários que, não fossem o esforço de guerra, levariam décadas a serem alcançados. A Segunda grande guerra mundial não foi uma excepção. Alguns dos mais notórios avanços, tiveram a sua génese na investigação alemã durante este conflito, como por exemplo, o programa espacial Russo e Americano na década de 60.A maior parte de nós já assistiu a programas sobre as armas secretas do regime nazi que, se tivessem entrado em cena noutro momento, poderiam ter invertido o rumo e o desfecho da segunda grande guerra mundial. A Alemanha desde muito cedo que se assumiu como uma nação cientificamente superior, o que lhe valeu um avanço significativo na tecnologia militar utilizada nas primeiras fases do conflito. Talvez por pensar que a guerra já estava ganha, Hitler colocou pôs menor ênfase no desenvolvimento bélico ao longo do guerra, o que acabou por se verificar decisivo na fase final. Quando a maré se inverteu, a Alemanha voltou novamente a virar-se para a investigação de armas altamente sofisticadas, num acto desesperado de voltar a virar o rumo do conflito.Essas armas extraordinárias ou "wunderwaffe" chegaram já tarde demais ao teatro de guerra mas, e se tivessem chegado mais cedo?Leia-mais: http://obviousmag.org/archives/2009/05/armas_extraordinarias_da_alemanha_nazi_-_avancos_t.html#ixzz0bIRWxgde- http://obviousmag.org/archives/2009/05/armas_extraordinarias_da_alemanha_nazi_-_avancos_t.html#ixzz0bIGIP4gKSturmgewehr 44 foi o primeiro rifle de assalto, si[Photo]milar às modernas M-16 e Kalashnikov AK-47. O ZG 1229, também conhecido pelo nome código vampiro, podira ser utilizado por sinppers à noite, através da sua visão por infra-vermelhos. Foi utilizada nos últimos meses da guerra.WunderWaffe2-Tanques-Super-Pesados. Leiamais: http://obviousmag.org/archives/2009/05/armas_extraordinarias_da_alemanha_nazi_-_avancos_t.html#ixzz0bIFGvIIW





30 dezembro 2009

UMA PARCERIA DE BOA VONTADE - LOUVÁVEL

Governo, empresas e as redes de Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) - boa parte ligada, directa ou indirectamente, à Igreja Católica - vão ter um pacto para salvar do desemprego cerca de 25 mil pessoas que já não recebem qualquer apoio financeiro. Querem recuperar 15 mil que hoje dependem do rendimento social de inserção (RSI), trazendo-os de volta ao mercado laboral, durante 2010. Este ano, as IPSS, em cooperação com o Estado, tiraram cerca de 30 mil pessoas do desemprego, pondo-as a trabalhar nessas instituições.A manutenção e a expansão desta rede de apoios sociais - creches, lares de idosos, centros de dia, serviços de apoio a deficientes e a idosos acamados - custa dinheiro: só este ano, o Estado deverá transferir para as IPSS cerca de 1,2 mil milhões de euros, aquilo que se gastará na terceira fase de recuperação das escolas secundárias, por exemplo. Os números enviados pelos Ministério da Solidariedade mostram que o reforço será de 4% face a 2008.
A medida que visa os desempregados está enquadrada no Pacto para o Emprego, foi incluída pelos socialistas no programa de governo e vai arrancar em 2010, ano em que o desemprego deve continuar a subir e a pobreza a aumentar, reflexo da actual crise, a mais violenta das últimas décadas.no jornal I
Claro que a oposição que poderá ser alternativa não se mexe e fica em retiro espiritual orando para que tudo corra mal e, se puder,ir metendo umas pedrinhas na engrenagem com a especializada cooperação belenense...

TAJ MAHAL - UMA HISTÓRIA DE AMOR

Umas das 7 maravilhas do mundo, praticamente todos já o viram em inúmeras fotografias, mas o que poucos sabem, é a história que está por de traz deste inigualável monumento. O Taj Mahal, é não mais do que uma ode ao amor e representa toda a eloquência que este sentimento pode ser. Durante séculos, o Taj Mahal inspirou poetas, pintores e músicos que tentaram capturar a sua magia em palavras, cores e música. Viajantes cruzaram continentes inteiros para ver esta esplendorosa beleza, sendo poucos os que lhe ficaram indiferentes.
Como todas as histórias, esta também começa da mesma maneira... Era uma vez um príncipe chamado Kurram que se enamorou por uma princesa aos 15 anos de idade. Reza a história que se cruzaram acidentalmente mas seus destinos ficaram unidos para todo o sempre. Após uma espera de 5 anos, durante os quais não se puderam ver uma única vez, a cerimónia do casamento teve lugar do ano de 1612, na qual o imperador a rebaptizou de Mumtaz Mahal ou "A eleita do palácio". O Príncipe, foi coroado em 1628 com o nome Shah Jahan, "O Rei do mundo" e governou em paz.
Quis o destino que Mumtaz não fosse rainha por muito tempo. Ao dar à luz o 14º filho de Shah Jahan, morreu aos aos 39 anos em 1631. O Imperador ficou tremendamente desgostoso e inconsolável e, segundo crónicas posteriores, toda a corte chorou a morte da rainha durante 2 anos. Durante esse período, não houve musica, festas ou celebrações de espécie alguma em todo o reino.
Shah Jahan ordenou então que fosse construído um monumento sem igual, para que o mundo jamais pudesse esquecer. Não se sabe ao certo quem foi o arquitecto, mas reuniram-se em Agra as maiores riquezas do mundo. O mármore fino e branco das pedreiras locais, Jade e cristal da China, Turquesa do Tibet, Lápis Lazulis do Afeganistão, Ágatas do Yemen, Safiras do Ceilão, Ametistas da Pérsia, Corais da Arábia Saudita, Quartzo dos Himalaias, Ambar do Oceano Índico.

Surge assim o Taj Mahal. O seu nome é uma variação curta de Mumtaz Mahal.. o nome da mulher cuja a memória preserva. O nome "Taj", é de origem Persa, que significa Coroa. "Mahal" é arábico e significa lugar. Devidamente enquadrado num jardim simétrico, tipicamente muçulmano, dividido em quadrados iguais cruzado por um canal ladeado de ciprestes onde se reflecte a sua imagem mais imponente. Por dentro, o mausoléu é também impressionante e deslumbrante. Na penumbra, a câmara mortuária está rodeada por finas paredes de mármore incrustado com pedras preciosas que forma uma cortina de milhares de cores. A sonoridade do interior, amplo e elevado é triste e misterioso, como um eco que soa e ressoa sem nunca se deter.
Sobre o edifício surge uma cúpula esplendorosa, que é a coroa do Taj Mahal. Esta é rodeada por quatro cúpulas mais pequenas, e nos extremos da plataforma sobressaem quatro torres que foram construídas com uma pequena inclinação, para que em caso de desabamento, não caissem sobre o edifício principal
Só não compreenderá este gesto quem nunca amou apaixonadamente uma mulher... e foi retribuido!

29 dezembro 2009

UMA PONTE INVULGAR NA MALÁSIA

No alto da montanha Gunung Mat Cincang, na Malásia, está uma das mais incríveis pontes do mundo. Mesmo para leigos em engenharia, imaginar que uma enorme estrutura como esta fica apoiada em um único pilar já é um exercício de tirar o fôlego; como a natureza ao redor da Sky Bridge. A ponte estaiada(presa por cabos grossos) e curva foi finalizada em 2004 e confia todo o peso do deck de passeio aos oito cabos de aço amarrados na ponta de sua grande pilastra de 87 metros de altura.
A Sky Bridge espalha-se por 125 metros e, graças a sua exclusiva curvatura, oferece diferentes perspectivas de paisagens para os visitantes. O corredor possui 1,80 m de largura e duas plataformas triangulares com o dobro deste tamanho servem como mirantes, oferecendo uma espetacular vista do Mar de Andaman e da ilha tailandesa de Tarutao.O acesso também pode ser outra espetacular experiência, com o cable car, um teleférico com carrinhos de formas arredondadas que chega ainda mais alto, em uma estação a mais de 700 metros. A subida e a descida parecem ser como a tudo relativo à ponte e a vista lá do alto: inesquecíveis!

CAMPEIA A IRRESPONSABILIDADE POLÍTICA


Bastou uma manhã de pobre mas agressivo debate, para que desejos acumulados de vingança resolvessem castigar a governação do país, na ilusão de que estavam a castigar o Governo. É possível que já exista algum arrependimento, à medida que se toma consciência da extensão do disparate, mas pode já ser tarde, se o filtro final não funcionar, ou simplesmente fizer coro com a maioria presente na Assembleia. Depois da desgraduação da Grécia no ordenamento do crédito internacional, perder de uma assentada um receita que pode ir de 800 milhões a quase dois biliões, não ajuda nada.» [Diário de Notícias]
Será que os portugueses, oportunamente, esquecerão as malfeitorias que esta senhora, íntima de Cavaco Silva, por isso provavelmente a par das coisas, mancomunada também com a esquerda lúdica e perdulária? É necessário sanear politicamente este país dos Robertos de Feira porque o regime democrático não suporta tanta irresponsabilidade e o País vai fenecendo!

28 dezembro 2009

COM AS MEDIDAS PERFEITAS? SÓ MEDINDO...


Um grupo de cientistas canadianos garante ter encontrado as medidas ideais para um rosto feminino.Os cientistas afirmam que encontraram aquelas que seriam as medidas para ter um rosto perfeito, embora só se aplique a mulheres brancas. O segredo parece ser a distância entre os olhos, boca e orelhas.Os investigadores pediram a um grupo de estudantes para darem uma nota a várias versões de uma fotografia da mesma mulher, modificada digitalmente. A conclusão foi que a distância entre os olhos e a boca deveria ser pouco mais de um terço, ou 36% do rosto (que no total é a distância do queixo ao cabelo).A distância entre os olhos deve ser de pouco menos de metade, ou 46%, da distância entre as orelhas.Ao contrário do que se poderia apensar, a actriz Angelina Jolie, considerada um símbolo da beleza feminina, não encaixa nestas medidas. Já a cantora Shania Twain parece ter as medidas perfeitas.

O PSD... SÓ COSCUVILHA


coscuvilhando

O PSD, na linha da sua fuga para a frente, iniciada... já Setembro é longe, ainda não percebeu, ou melhor, percebeu mas faz-se de desentendido para disfarçar incompetências insanáveis e pede mais esclarecimentos ao Procurador-Geral da República sobre as badaladas escutas. No fundo, a actual direcção do PSD, não tendo gente disponível nem propostas políticas que convençam os portugueses, procuram afanosamente escândalos do tipo Tiger Woods que lhes devolvam agumas hipóteses de poder que, p0r méritos próprios, não conseguirá... Por isso, apostam na mera coscuvilhice. É muito pouco, muito pouco mesmo. É a pobreza franciscana do actual PSD, moral e política, exibida em todo o seu esplendor.

27 dezembro 2009

O MAESTRO JOSÉ MANUEL FERNANDES

O provedor do leitor, Joaquim Vieira, escreve uma

Carta aos jornalistas do PÚBLICO: "(…) no caso que acabou por marcar este mandato de provedor agora no fim – a questão das notícias acerca da alegada vigilância de S. Bento sobre Belém –, continuo a julgar ter dito o que devia dizer: lançar um sério aviso sobre o que, procurando decidir em total independência e autonomia, entendi como desvio aos valores editoriais em que se fundou este jornal, um copo que eu via cheio há já algum tempo e que transbordou com essa enorme gota de água. Sei que muitos de vós se sentiram ofendidos no brio profissional quando questionei a existência no jornal de uma agenda oculta, mas não se tratava de pôr em causa toda a redacção. Só que numa orquestra afinada basta um dos seus elementos perder o tom (para mais numa posição de chefe de naipe ou de concertino), para que todo o conjunto desafine (imagine-se então se é o maestro a dirigir com outra partitura)."
Recorde-se que o caso, como o provedor na carta refere, reporta-se à inventona das "escutas a Belém", operação na qual José Manuel Fernandes, enquanto Director do Jornal Público, teve participação activa. De louvar a verticalidade e a firmeza do provedor Joaquim Vieira, jornalista de alto gabarito e um cidadão de primeira água.
José Manuel Fernandes, que assumiu a direcção de um jornal ainda novo mas já com um caminho seguro e rumo definido, sério e algo circunspecto, pelo seu primeiro Director, Vicente Jorge Silva, não deu seguimento a esse rumo e, pelo contrário, fez do mesmo veículo das suas causas e paixões, nomeadamente as de cariz político, atingindo por vezes níveis de muito pouca exigência ética e de discutivel qualidade jornalística, o que afastou muitos dos indefectiveis leitores da primeira hora. Diriamos que o PÚBLICO começou com um grande director e encontrou agora um grande provedor que poderá ter dado o mote para a sua regeneração, levando a que muitos recuperem o hábito já perdido de comprar O PÚBLICO. Será o meu caso.

AFINAL ISTO NÃO ESTÁ TÃO MAU COMO O PINTAM

Inspirados pelos ventos que sopram de Belém, os bandarristas Medina, Catroga, Barreto e quejandos fazem o que podem para atazanar a vida dos portugueses, anunciando-lhes de hora a hora que o país está falido, em declarações de bota-a-baixo e anunciando para logo à noite o fim da Pátria, lançando sobre todos nós o manto roxo da inevitabilidade da tragédia que fará de todos nós os novos ciganos de trouxa às costas, de mão estendida à caridade dos países que se salvarão do cataclismo. Qual aeroporto, qual TGV? O país está a finar-se! proclamam os bandarristas aconchegados à gente de Cavaco a quem fornecem dicas para atacar o governo. Como todas as aves agoirentas, estas também têm especial preferência por lugares onde há cheiro a cera e azeite de besuntas, conseguindo nesses meios distrair quem tem por missão informar e que parecia alheia ao que se passava no mundo, entretida com o lúgubre piar dessas aves canoras.Por isso soube-se agora de fonte limpa que a Polónia, a Itália, a Espanha e o Reino Unido, para só falar de alguns países da Comunidade Europeia, têm maior probabilidade de falência do que Portugal…que se encontra bem colocado, facto que deve desagradar muito a Cavaco pelos seus eventuais projectos de salazarização do país e também aos terroristas do verbo para não lhes faltarem munições...

BRASIL - UM PAÍS EM GUERRA?




´


Só nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo a polícia brasileira matou 11 mil pessoas desde 2003. Quem o garante é a organização mundial de defesa dos Direitos Humanos, Human Rights Watch (HRW) num relatório publicado este mês - "Lethal Force - Police Violence and Public Security in Rio de Janeiro and São Paulo".O Brasil regista uma taxa de 47 mil homicídios por ano e, segundo a base de dados do governo brasileiro - Data SUS -, em 30 anos, desde 1979 até 2008, o número de homicídios acumulados é comparável às baixas de países em guerra: um milhão de registos. A Human Rights Watch refere no seu relatório que, apesar do combate policial ser muito difícil, as "mortes extrajudiciais" levadas a cabo pela polícia, esquadrões da morte (normalmente compostos por agentes da autoridade) e milícias, raramente são investigadas e "muito poucas chegam a tribunal".
É a opção pela eficácia: limpam-lhes o sebo e depois seguem-se os trâmites legais sem embaraços nem manobras dilatórias. Mas o nosso querido Brasil dá a ideia de um país em guerra!...Embora pareça que há progressos, no âmbito das matanças, com a existência de um Conselho de Ética para o abate de gado!
Comparando com a situação portuguesa e a acção da PSP e GNR , entre 2003 e 2008, foram registadas 28 mortes em Portugal, concluindo-se que no Brasil por cada 10 milhões de habitantes a polícia mata 570 pessoas e em Portugal, em proporção, matam 4. Tendo em conta as circunstâncias e as diferenças populacionais, a civilidade das nossas polícias é uma evidência e poderão esforçar-se para melhorar esta cifra! É um orgulho para todos nós. Mas estas comparações são errelevantes dadas as enormíssimas diferenças de contexto. Se calhar aquelas cifras de 570 mortes lá e 4 cá...por mera comparação numérica, nem serão muito elogiosas para nós. Basta constatar que raramente a polícia em Portugal é enfrentada pelos marginais. O último caso mais recente de que há memória tratou-se de um meliante brasileiro de arma na mão no assalto a um Banco em Lisboa, com reféns, um deles com a pistola colada à cabeça, o qual a PSP acabou por abater... com transmissão em directo pela TV. Acto que iundignou muito boa gente pela crueza da coisa e pelo risco que correu o refém.

UM SINAL DE ESPERANÇA ?


Criança palestiniana entra no bairro cristão da cidade velha de Jerusalém vestida de Pai Natal...

26 dezembro 2009

INQUALIFICÁVEL


Aproveitei a manhã para ler os semanários que sairam todos ontem. O Expresso traz que Durão Barroso já era candidato ao cargo de presidente da Comissão Europeia enquanto mantinha publicamente o seu apoio de chefe do governo português a António Vitorino.A revelação é feita pelo então líder do PPE Martens nas suas Memórias.Não precisei de esperar tanto. Na sessão de 8 de Julho de 2004 disse-o na Assembleia da República numa declaração política que proferi, perante os protestos dos deputados do PSD.Por acaso foi uma das minhas últimas intervenções parlamentares. É só consultar o Diário das Sessões.Uma maçada. José Medeiros Ferreira

NATAL


NATAL


Miguel Torga
Soa a palavra nos sinos,
E que tropel nos sentidos,
Que vendaval de emoções!
Natal de quantos meninos
Em nudez foram paridos
Num presépio de ilusões.


Natal da fraternidade
Solenemente jurada
Num contraponto em surdina.
A imagem da humanidade
Terrenamente nevada
Dum halo de luz divina.


Natal do que prometeu,
Só bonito na lembrança.
Natal aos poucos morreu
No coração da criança,
Porque a vida aconteceu
Sem nenhuma semelhança.

A LOJA DO MESTRE ANDRÉ

Na ausência de uma oposição, tem ele [Cavaco Silva] de substituir a oposição. Portugal inteiro espera isso dele. E, depois, quando Sócrates sair, como cairá, na execração geral e ele, Cavaco, reeleito, reentrar em Belém, se tratará de pôr a casa em ordem.

"Vasco Pulido Valente, Público, 26 Dez. 09
Eis a estratégia de sapa do Aníbal, exposta com pulida simplicidade, para tomar conta da quintarola e salarizar o regime, sem inoportunos impecilhos socráticos...
Resta-nos esperar que Sócrates consiga libertar-nos do execrável cavaquismo, dos seus bebados, dos seus bonzos e múmias paralíticas. E impedir que Portugal se transforme numa espécie de
Loja do Mestre André
Parece-nos que depois do Medina Carreira, VPValente será convidado para conselheiro de Cavaco... Duvidamos no entanto que o brilhante Vasco queira emprestar o seu superior raciocínio ao árido terreno cavaquista. Mas, como diria o outro, no melhor pano cai a nódoa...

MAUSOLÉU DE MAO ZEDONG




Mausoléu de Mao Zedong aberto hoje ao público
Excepcionalmente, o Mausoléu do Presidente Mao Zedong estará hoje aberto, 25 anos depois da morte do fundador da República Popular da China. Mas não foram anunciadas quaisquer cerimónias oficiais. A imprensa oficial chinesa tem também ignorado a efeméride, ilustrando, à sua maneira, as profundas mudanças ocorridas entretanto no país.
Mao continua a ser uma figura controversa na actualidade, com um importante legado, igualmente controverso . Na China é visto oficialmente como um grande revolucionário, estratega, mentor político e militar, bem como salvador da nação. Muitos chineses acreditam que Mao, através de suas políticas, lançou os fundamentos económicos, tecnológicos e culturais da China moderna, transformando o país de uma ultrapassada sociedade agrária numa grande potência mundial. Além disso, Mao é visto por muitos como um poeta, filósofo e visionário. Como consequência, o seu retrato continua a ser o ícone da Praça Tiananmen e em todos as notas Renminbi.
Inversamente, no Ocidente, Mao era acusado de, com os seus programas sociais e políticos, como o Grande Salto Adiante e a Revolução Cultural, ter causado situações de carências diversas, fome e danos culturais, sociais e económicos à China. As políticas de Mao e as epurgas políticas de 1949-1975, terão provocado a morte de 50 a 70 milhões de pessoas!!!. Desde que Deng Xiaoping assumiu o poder em 1978, muitas políticas maoístas foram abandonadas em favor de reformas económicas que depois conduziram à situação política e económica da China actual.

25 dezembro 2009

AS MAMAS E O MAMANÇO

O poder autárquico, considerado como uma das melhores realizações resultantes do 25 de Abril, gozou inicialmente de uma óptima imagem junto dos portugueses, mas à medida que as condenações em tribunal iam surgindo e as inúmeras suspeitas de muitos outros casos vieram a público, essa imagem começou a degradar-se, como o demonstra o referido Eurobarómetro. De repente, os casos Freeport e Face Oculta vieram também lançar suspeitas no âmbito do poder central, processos que envolvem, alegadamente, uma rede dedicada a negócios fraudulentos. Cresce todos os dias a lista das ilegalidades denunciadas pelo Tribunal de Contas, relativamente ao Governo e às empresas públicas, que não hesitam, apesar disso, em continuar adoptar as mesmas práticas e até agora aparentemente impunes.
A corrupção não é apenas um problema de ética ou de justiça social, é sobretudo um problema de eficiência económica, motivo pelo qual o fenómeno deve ser combatido implacavelmente pelos tribunais, pelos cidadãos e pelos políticos honestos que são a maioria, numa mobilização geral e sem tréguas. Os dados que se conhecem sobre a extensão da corrupção em Portugal reclama uma espécie de "limpeza" na vida política, de modo que o poder democrático seja exercido como um verdadeiro exemplo de transparência e de lealdade dos eleitos perante o povo. Não mais o povo deverá pactuar com políticos sem princípios de rigor e de ética ou que não imponham esses princípios de conduta aos seus subordinados, mantendo muitas vezes, com o seu silêncio, práticas altamente censuráveis." - Narciso Machado, juiz desembargador jubilado, no Público

O BELO E ASSUSTADOR!!!

O vulcão Mayon, nas Filipinas, registou hoje fortes explosões e as autoridades elevaram o alerta de possibilidade de erupção. O perigo iminente fez com que 45 mil pessoas daquela região fossem evacuadas e estão a ser alojadas em campos de acolhimento.Responsáveis do Instituto de Vulcanologia indicaram que “nos últimos dez dias o Mayon produziu 20 milhões de metros cúbicos de lava e parece estar a encher-se de magma”.O Mayon situa-se 500 quilómetros a sul da capital, Manila.
A imagem acima do vulcão foi capturada hoje (no
i)

JÁ NEM O PAPA ESCAPA....

Uma mulher saltou as barreiras de segurança colocadas dentro da basílica de São Pedro e empurrou o Papa Bento XVI, quando o pontífice percorria o corredor central da basílica, segundo um porta-voz do Vaticano, citado pela Associated Press.
Bento XVI, 82 anos, acabaria por cair, mas sem sofrer aparentemente nenhum ferimento, e retomou o caminho até ao altar para celebrar a tradicional Missa do Galo.
A mulher, que aparentemente sofre de perturbações mentais, foi detida pela polícia do Vaticano.
A desconhecida também empurrou o cardeal Roger Etchegaray, que foi transportado para o hospital para ser examinado.

A forma como se tem vindo a vulgarizar, nos regimes democráticos, o desrespeito e quase diabolização por quem exerce qualquer poder, a começar pelo comportamento da classe política na luta por esse poder, onde parece que vale tudo, temática particularmente acarinhada e ampliada pela comunicação social, leva a que se assista a casos como o de Berlusconi e agora o próprio Papa!... A mesma C.S. vem logo pressurosa deitar água na fervura justificando os actos por atitudes de pessoas desequilibradas por forma a desvalorizar os factos. Mas são os regimes democráticos que estão a ser abalados porque nas ditaduras esses "desequilibrados" não aparecem nem a C.S. tem liberdade para parodiar o poder. Melhor seria que cuidassem da saúde dos regimes de liberdade não venha por aí quem lhes tire o pio. Equilíbrio exige-se à Comunicação Social e aos políticos que malbaratam a respeitabilidade que carece a sua actividade.



24 dezembro 2009

SISTEMA DE SAÚDE - GRANDE VITÓRIA DE OBAMA

Ontem, num gesto de conciliação, as facções mais liberais da maioria democrata na Câmara dos Representantes sinalizaram estar receptivas a deixar cair a "opção pública" em troca de outras concessões, como que o grosso das reformas entre em vigor em 2013, um ano antes do previsto no texto do Senado.Obama sempre preferiu a "opção pública" e reconheceu que não está "tudo o que queria" naquelas propostas. Mas insistiu que "não foram feitas cedências significativas nos elementos cruciais que visam ajudar o povo americano". O pacote "tem o necessário para reduzir os custos para as empresas, para as famílias e para o Governo", afirmou na entrevista concedida ao "Washington Post" na Sala Oval. "Todos os critérios de reforma que propus estão na lei", insistiu. in Jornal Público
Na realidade esta vitória de Obama tem um grande significado, pois bastava uma leitura superficial sobre a realidade do actual sistema de saúde nos EUA para, surpreendentemente, parecer que estavamos a reportar-nos a uma realidade de um país do terceiro mundo.E é curioso que quando a questão da reforma foi lançada pelo Presidente Obama, falou-se do sistema de saúde português como um caso exemplar a ser seguido. Será coisa para nos orgulhar se tal vier a suceder.
O Senado americano votou pelas 7 da manhã a Health Care Bill. E garantiu a sua aprovação com 60 votos a favor e 39 contra. Impedido o filibuster, a discussão está encerrada antes do Natal, como pretendia Barack Obama. O próximo passo, e último, passa pela negociação directa entre o Senado e a Câmara dos Representantes, para fundirem as duas propostas aprovadas numa só. Discutiu-se aqui hoje como isso deverá ser feito.

AS MANIPULAÇÕES CAVAQUISTAS..

‘A minha intuição dizia-me que uma atitude defensiva face aos obstáculos criados pela Assembleia da República não compensava. Procurava então contra-atacar e tornear as dificuldades criadas. Alertava o País e acusava a oposição de obstrução sistemática e de querer impedir o Governo de governar. A oposição, por seu lado, acusava o Governo de arrogância, de seguir a táctica de guerrilha com a Assembleia e de manipular a opinião pública contra ela. [...]Face à acção dos partidos visando descaracterizar o orçamento [...], o Governo procurou dramatizar a situação, convicto de que isso jogava a seu favor. A seguir ao “Telejornal” do dia 8 de Abril fiz uma comunicação ao País através da televisão. Denunciei as alterações introduzidas na proposta do orçamento apresentado pelo Governo, as quais se traduziam em despesas públicas desnecessárias, aumento do consumo e benefícios para grupos que não eram os mais desfavorecidos da sociedade portuguesa. Procurei mostrar aos Portugueses como era errado e socialmente injusto forçar o Governo a decretar do preço da gasolina, uma clara interferência da Assembleia na área da competência do Executivo, que ainda nunca antes tinha sido feita. Para tornear as dificuldades criadas e para os que objectivos de progresso propostos pelo Governo pudessem ser ainda alcançados, anunciei na televisão um conjunto de medidas compensatórias visando, principalmente, contrariar o excesso de despesa e de consumo induzido pelas alterações feitas pela oposição. O meu objectivo, ao falar ao País sobre o orçamento, era também o de passar a mensagem de que o Governo atribuía grande importância ao rigor na gestão dos dinheiros públicos.A mensagem de que a Assembleia obstruía sistematicamente a acção do Governo passou para a opinião pública. O Governo, sendo minoritário, surgia como a vítima e acumulava capital de queixa: queria resolver os problemas do País e a oposição não deixava. A oposição não percebeu que, tendo o Governo conseguido evidenciar uma forte dinâmica e eficácia na sua acção, a obstrução ao seu trabalho não a beneficiava. O PS revelava dificuldade em ultrapassar os ressentimentos pelo desaire sofrido nas eleições de Outubro de 1985 e o seu comportamento surgia-me como algo irracional. O Governo e o PSD procuravam tirar partido da situação e alertavam a opinião pública para as estranhas convergências entre o PS e o PCP na Assembleia da República.’Aníbal Cavaco Silva, "Autobiografia Política"
Esta confissão, confrontada com actuais comportamentos de S.Exª, revela a grandeza e seriedade política do mais alto magistrado da Nação...



JOHN LENNON - CANTA MERRY CRISTMASN WAR IS OVER



CLIQUE

21 dezembro 2009

CAVACO EXORBITA A SUA LEGITIMIDADE?


Socialistas respondem aos comentários do Presidente dizendo que Cavaco está, em "coro com a direita", a querer interferir na agenda do PS, a causar instabilidade e a "exorbitar a sua legitimidade.
Falando oficialmente "em nome do PS", o deputado Sérgio Sousa Pinto, protagonista há muitos anos nas "causas fracturantes" dinamizadas pelos socialistas, disse que o Presidente da República "tem a liberdade de ter a sua posição pessoal".Contudo, "já não terá o direito de se intrometer na agenda dos partidos como, no caso vertente [o casamento gay], na agenda do partido que apoia o Governo". E, ainda por cima, "em coro com a oposição de direita".Para Sérgio Sousa Pinto, que falava ontem em Lisboa à entrada de uma reunião de José Sócrates com autarcas do PS, o Presidente "está a contribuir inutilmente para a dramatização da vida nacional". E, com isso, "a pôr em causa as condições de estabilidade política que são indispensáveis para dar resposta aos problemas que preocupam o Presidente, o Governo e o PS".Comentando as palavras do deputado do PSD Carlos Peixoto (que disse que o casamento entre pessoas do mesmo sexo pode levar ao casamento entre pais e filhos) respoudeu assim:-Dirigem-se a um Portugal cavernícola que felizmente já não existe", considerou o deputado socialista. "O tema do casamento entre pessoas do mesmo sexo divide os portugueses e há pontos de vista diferentes e inteligentes de ambos os lados. Há pessoas de um lado e de outro que esgrime argumentos respeitáveis", considerou ainda. "Quero fazer justiça ao partido que esse deputado representa, o PSD, porque estou convencido que os sociais-democratas não se revêem neste género de declarações e de contribuições", sublinhou o ex-líder da JS.Até um cegueta dá por isso e não terá dificuldade em concluir que o Prof. Silva é um perfeito erro de casting e, porventura, o Presidente menos qualificado, politicamente, que a República teve desde a sua implantação, mesmo abaixo de Américo Tomás que, nas circunstâncias, soube transmitir alguma dignidade ao cargo! O Prof Cavaco Silva deveria corrigir a sua postura e libertar-se da partidarite que parece trazer agarrada à pele

20 dezembro 2009

FALTA DE JEITO





FALTA DE JEITO O artido deFernanda Câncio no Diário de Notícias de hoje sobre a derrota de Pacheco (via País Relativo) ficará nos arquivos do melhor de 2008 no campo da análise mediática. O historiador que no pós-25 de Abril fez carreira a confundir propaganda com jornalismo e se distinguiu a defender — corajosamente, que fique escrito — o autoritarismo, falhou cada uma das suas iniciativas partidárias.A Pacheco Pereira, a história da política portuguesa atribuirá as justas responsabilidades pelo atraso da adaptação do PSD à política do século XXI. A insistência na geração passada, boicotando o acesso dos émulos de José Sócrates ao poder partidário, é o corolário de um percurso desastroso no partido hoje consciente de que tardou a atribuir a Pacheco o seu verdadeiro lugar: o de “livre pensador”, que fica prudentemente de fora do tabuleiro de jogo (e a votar em Santarém).Paulo Portas (CDS-PP). José Sócrates (PS). Francisco Louçã (BE). Jerónimo de Sousa (PCP). As principais forças políticas são lideradas por figuras de segunda ou terceira geração. Sujeitaram-se às purgas, às dores de crescimento, à renovação dos seus tecidos, deixaram emergir lideranças que, com maior (Sousa) ou menor (Portas) ligação umbilical às referências históricas e ao passado dos respectivos partidos, fizeram a transição de audiências, que é como quem diz de eleitores.O PSD, não. Desde que foi arredado do poder central, o PSD ficou — qual galinha decapitada — a andar às voltas, picado de fora por duas eminências bastante antigas e nada pardas que tudo fizeram para condicionar o partido aos seus projectos de ambição pessoal, fossem eles quais fossem.Essa interrupção voluntária do normal processo de amadurecimento partidário tem sistematicamente atrasado a modernização de quadros. Sem mudança de líderes e de processos internos que respondam aos seus inputs, os novos mais brilhantes que poderiam estar na calha vêem as suas carreiras tapadas e saem para o estrangeiro, para a universidade ou para o mundo empresarial, ou ficam a marcar passo nos lustrosos institutos do partido.O PSD é o único partido que continua liderado pela geração política correspondente aos reformados do PS, PP e PCP e regido pelos respectivos processos. Os processos tipo Pacheco.Tudo estaria bem se a derrota fosse só dele.
(Brevemente, no blog Abrupto, um surto de auto-vitimização).

CASEM -SEJAM FELIZES...E PARABÉNS À PRIMA

Já não há paciência para o incómodo causado pela possibilidade de casamento entre pessoas do mesmo sexo. Sucedem-se as opiniões: directas e por outras palavras. Cavaco escolheu palavras ao lado. Alás, Cavaco dispara muitas vezes para o lado. É um caso recorrente da má pontaria. Todos os intrometidos que acham que devem decidir sobre a vida dos outros, insistem no referendo. E juntam-se em uniões improváveis até que a morte os separe. São os casamentos de conveniência contra os casamentos de quem se ama e quer os seus direitos. Dar voz a homofóbicos ressabiados é fazer o jogo de outras fobias. Se lhes der-mos corda nunca mais param. por José Teófilo Duarte

O GOLO DO CRISTIANO RONAIDO

Clique no link
e aprecie a maravilha

19 dezembro 2009

COMPARAR O INCOMPARÁVEL!!!



As análises de Barreto, porque se trata de um senhor inteligente, culto e bom conversador, têm interesse e despertam sempre curiosidade porque consegue transmitir a ideia de estar seguro do que afirma e que com ele se aprende alguma coisa. E assim será muitas vezes, outras nem tanto e, para abreviar, a sua conclusão de que a justiça no anterior regime era melhor só se aceita na medida em que ele, como antigo refugiado político, terá andado fugido a ela pelo estrangeiro e não a terá conhecido de facto nem muitas das suas particularidades.
Noutra perspectiva pensará ter alguma razão se não fez algumas comparações pertinentes, não evocando por exemplo o facto de o "Poder Judicial"na ditadura, como tudo o resto, obedecer sem hesitações ao poder político, o mesmo que dizer ao arbítrio do tio António Botas... E ponderar também ser absolutamente impensável que, ao tempo, qualquer magistrado ousasse beliscar o poder político ou enfrentar o senhor Presidente do Conselho... Como sabe, por certo melhor do que este simples mortal, o exercício de poderes em ditadura e em democracia nunca poderá ser comparável. O António Barreto que conheci pessoalmente chegadinho do exílio, emparceirando nas tarefas de implantar a democracia pós 25 de Abril, parece agora muito abrangente e tolerante para com esse passado e com os que com ele foram muito felizes... e continuam a ser! A justiça hoje pode não estar de muito boa saúde como muitas outras coisas, mas é livre! Barreto não sugere de certeza que se lhe aperte os gargomilhos?!... Lá teria de fugir outra vez para o exílio! Ou agora já não seria necessário?... Para dar um exemplo da espécie da justiça que, para António Barreto era melhor, vejamos este acordão que só faltava louvar quem dava porrada na mulher... se não exagerasse...-O Acórdão do STJ de 3 de Maio de 1952, Boletim n.º 33, página 285, defendeu a seguinte tese:“Se os maus tratos forem infligidos pelo marido à mulher, eles não constituirão sevícias capazes de justificar o pedido de divórcio se não excederem os limites de uma moderada correcção doméstica”O António se fosse um estudioso destes assuntos por certo esta não poderia escapar-lhe.

DEIXEM-ME GOVERNAR!!!

Reparem no ar amistoso e jovial dos nossos dois responsáveis da quintarola

Os partidos da oposição a dizerem que o Governo devia preocupar-se com as suas tarefas e deixar em paz o Parlamento, o Governo a enfatizar que a oposição vive preocupada em fazer acertos de contas com o passado e, consequentemente, em impedir a governação de acordo com o programa sufragado em eleições.
O que fica para além destas declarações genéricas que valha a pena introduzir nas nossas reflexões? É um facto que o Governo tem procurado, por todas as formas ao seu alcance, sublinhar a circunstância de ser um Executivo de maioria simples, com as fragilidadades próprias dessa situação, mas é igualmente verdade que a(s) oposição(ões) tem(têm) feito a vida negra ao Governo, tentando travar um combate que, em última instância, redundará em prejuízo dos interesses nacionais. Um Governo de maioria simples pode fazer duas coisas: ensaiar todas as formas de diálogo com os partidos da oposição e, se esse diálogo se revelar uma impossibilidade, apelar ao magistério de influência que o Presidente da República pode exercer, e ainda sensibilizar o povo que lhe deu o mandato para a irresponsabilidade da ‘praxis’ dos partidos da oposição.
Não tenhamos dúvidas sobre a questão central desta polémica: é preciso resolver os problemas do País, e essa é a obrigação do Governo, é preciso conduzir os negócios e a vida pública de acordo com os interesses nacionais, e esse é o dever do Governo, sendo óbvio que não pode aceitar uma acção concertada de obstrução que pouco ou nada permite. Vivemos um período grave de crise económica, o número de desempregados é assustador, os valores do défice das contas públicas impressionam, e por isso, ao Governo, tem de se exigir que realize com eficácia programas de combate a este cenário. As oposições, se não puderem ou não quiserem ajudar, o que se lhes pede é que não criem dificuldades adicionais, como aquelas que há duas semanas levaram BE, PCP, PSD e CDS a unir-se para retirarem 800 milhões de euros às receitas do Estado.
Em Janeiro teremos aí o primeiro Orçamento do Estado preparado pelo actual Governo. É um momento de capital importância. É claro que pode e deve ser melhorado com contribuições de todos os partidos mas tem de ser um Orçamento do Governo, um documento em que o Governo se reveja inteiramente, uma matriz para cumprir um ano de governação. Não pode ser um OE das oposições para o Executivo levar à prática
.E.Rangel-C.Manhã

ABAIXO AS SENHAS DE ATEDIMENTO



Desconfiamos quem é o papagaio...

Um tal senhor Paulo Pinto de Mascarenhas, uma personalidade de perfil PPD (não se invoque a social democracia em vão), que parece ter ganho assento permanente no Jornal I (é accionista?... só pode!), faz a croniqueta sobre o que titulou de A minha aventura na Segurança Social na qual conclui que António Guterres, em 1995, tinha proclamado que as pessoas não são numeros, afirmação que não se confirma 14 anos depois. Essa constatação do preclaro Mascarenhas fundamenta-se na sua referida aventura, por na emergência ter verificado que, para ser atendido naqueles serviços,vejam lá) teve de tirar senhas numeradas e esperar a sua vêz... extrapolando daí para a trágica obrigatoriadade de possuir números de BI, contribuinte, Segurança Social; de se citarem números estatísticos sobre desemprego, doentes, mortos, vivos eu sei lá. Só números... Está no I

Enfim, apesar de Guterres os portugueses continuam a ser números, sugere o infeliz utente da S.S. Preenderá o Mascarenhas, com o seu grito de revolta contra as senhas de atendimento, deixar implicita a acusação de mais uma promessa não cumprida pelos xuxas? Esta gente nem o esforço madrugador do padeiro merece... E escreve no agrafado, o meu jornal..., facto que propagandeia no blogue 31 da Armada com um zelo encantador

Este senhor é accionista do meu jornal... Só pode!

ESTAMOS TODOS FARTOS!!!!!!


O JARDIM QUE VÁ BARDAMERDA
Estou farto, estou mesmo muito farto de aturar o Alberto João Jardim, de o ouvir ofender a maior parte do país quando quer, de ofender a democracia portuguesa quando lhe apetece, de fazer chantagem permanente sobre os portugueses. Estou farto do esquema proxeneta que o PSD instalou numa Madeira liderada por gente com o estofo ético de um Jaime Ramos ou de um Alberto João.
Sou algarvio, o Algarve sempre foi a região do país com maior especificidades, poderia apelar ao seu passado história eu vai muito para além da reconquista, poderia evocar os seus poetas árabes, podia lembrar a gandeza do El Andaluz. Mas o Algarve sempre foi português, sempre foi uma importante fonte de divisas e durante década nunca recebeu nada em troca, muitos pagaram com a vida o estado miserável das suas estradas, e mesmo a Via do Infante não passa de uma auto-estrada de segunda qualidade.
No tentanto, a nenhum líder político algarvio passou pela cabeça ofender o país, a sua democracia ou as suas instituições, nunca os algarvios exigiram contrapartidas pelas receitas geradas no turismo, nunca alguém ousou usar a ameaça chantagista com objectivos proxenetas. Aliás, não sucede nada disso no Algarve, como não sucede nos Açores, em Trás-os-montes ou em ualuer das regiões que têm recebido emnos dinheiro dos contribuintes do Continente do que a Madeira.
Estou tão farto do Alberto João que depois de lhe ouviar mais uma ameaça chantagista só me apetece dizer o que uma vez disse o Almirante Pinheiro de Azevedo, que vá à bardamerda. Já não tenho paciência para políticos oportunistas, políticos que à sombra de um partido sem princípios montou uma democracia de opereta onde quem não é do partido é excluídos. Pois, a exclusão não se deve apenas a fenómenos económicos, na Madeira há gente que é excluída do acesso a cargos públcios a negócios e mesmo da tranquilidade.
Estou tão farto das ameaças separatistas de Alberto João que acho que quem deveria equacionar a hipótese de se tornarem independentes de gente como o Alberto joão são os portugueses que não têm vergonha de o ser e se assumem como nação, estou a referir-me, pois claro, aos que vivem no Continente e nos Açores.
Enquanto o Alberto João vai fazedno as suas ameaças chantagistas é tempo de o país se assumir como nação e dizer não ao proxenetismo nacional, de consultar os portugueses dos Açores e do Continente sobre se querem ou não que a Madeira continue a ser Portugal ou se devemos declarar a independência de Portugal em relação à Madeira e aos seus proxenetas. Começa a ser hora de mandar o Alberto João bardamerda.O in O Jumento




18 dezembro 2009

A CULPA É DO SOCRAS

A Red Bull ameaçava voar para bem longe se não a deixassem voar sobre o Tejo. Na Ribeira jamais.
Uns culpam o nevoeiro, que deste tempos remotos passa o Verão na Afurada, outros responsabilizam as tripas, que não chegaram a recuperar da maluqueira das vacas.Porém, como tudo o que de mau acontece – das maleitas do gato da Tia Anica à impotência do boi Apis –, o verdadeiro culpado é o governo, nomeadamente o Socras, que pensa que ainda tem a maioria absoluta.Mas a maioria agora é outra e em breve a Assembleia da República vai obrigar a Red Bull a voltar para o Porto
...
in A Forma e o Conteúdo
ah!!!!!
Não seria altura de o povo do Norte começar a perguntar-se se uma parte das desgraças que o afligem não se deverá em grande medida à parlapatice dos seus dirigentes, sempre mais prontos a debater o 4-3-3 na televisão do que o relançamento da região cujos destinos tão negativamente influenciam. Claro que seria!!!!
E PORQUE NÃO DEDICAR-SE O PSD A TAREFAS DE REALIZAÇÃO DE EVENTOS COMO É SUGERIDO NO Blogoperatório:
Anda aí grande alarido por causa de um tal festival Red Bull. Até o prestigiado intelectual Pacheco Pereira anda preocupado com a coisa. Ontem, na Quadratura do Circulo, acusou António Costa de algo ter feito para passar o evento do Porto para Lisboa. Costa quase se passou mas explicou tudo muito bem explicadinho. Foram os homens da Red Bull que quiseram passar a festa para a capital. Um dirigente regional do PSD vai pedir explicações ao primeiro-ministro sobre esta grande prioridade nacional. Está tudo doido? Balsemão anda preocupado com a possibilidade de o PSD estar à beira do fim. Já tem alternativa para ocupar a malta do partido: Que tal transformar-se em empresa de organização de eventos? Têm jeito.
publicada por José Teófilo Duarte

A INICIAÇÃO DE PACHECO PEREIRA

A iniciação ao maoismo de Pacheco Pereira, sob o olhar paternal e protector de Mao Tsé Tung. Parece que recebeu por missão subverter o PSD, o partido do mundo ocidental mais vulnerável à colonização amarela.

17 dezembro 2009

COMPARAR O INCOMPARÁVEL





As análises de Barreto, porque se trata de um senhor inteligente, culto e bom conversador, têm interesse e despertam sempre curiosidade porque nos transmite a ideia de estar seguro do que afirma e que com ele se aprende alguma coisa. E assim será muitas vezes, outras não o será tanto e, para abreviar, a sua conclusão de que a justiça no anterior regime era melhor só se aceita na medida em que ele, como antigo refugiado político, terá andado fugido a ela pelo estrangeiro e não a terá conhecido de facto.

Noutra perspectiva terá alguma razão se não fez algumas comparações pertinentes, não evocando o facto de o "Poder Judicial"na ditadura, como tudo o resto, obedecer sem hesitação ao poder político, o mesmo que dizer ao arbítrio do tio António Botas. E ponderar tabém ser absolutamente impensável que qualquer magistrado ousasse beliscar o poder político ou enfrentar o senhor Presidente do Conselho. Como sabe, por certo melhor do que este simples mortal, o exercício de poderes em ditadura e em democracia nunca poderá ser comparável. O António Barreto que conheci pessoalmente chegadinho do exílio, emparceirando nas tarefas de implantar a democracia pós 25 de Abril, parece agora muito abrangente e tolerante para com esse passado e com os que com ele foram muito felizes... e continuam a ser. A justiça pode não estar de muito boa saúde como muitas outras coisas, mas é livre! Barreto não sugere de certeza que se lhe aperte os gargomilhos?!... Lá teria de fugir outra vez para o exílio! Ou agora já não seria necessário?...
Para dar um exemplo da espécie da justiça que, para António Barreto era melhor, vejamos este acordão que só faltava louvar quem dava porrada na mulher se... não exagerasse:

ABALO DE TERRA NO CONTINENTE


Por volta da 01, 39 h ocorreu um abalo de terra sentido com muita intensidade em Lisboa, certamente, de grau razoavelmente elevado. Confirma-se: sismo de magnitude 6 ao largo do Cabo de S. Vicente (SIC - noticiário das 2,00h), no Algarve. É incrível mas os sites da LUSA e do Instituto de Meteorologia estão em baixo.[dados obtidos no ABSORTO

16 dezembro 2009

CONHEÇO UM PAÍS...




DaquiNicolau Santos, Director - adjunto do Jornal Expresso, In Revista "Exportar"


*Eu conheço um país que tem uma das mais baixas taxas de mortalidade mundial de recém-nascidos, melhor que a média da UE.

*Eu conheço um país onde tem sede uma empresa que é líder mundial de tecnologia de transformadores.

*Eu conheço um país que é líder mundial na produção de feltros para chapéus.


*Eu conheço um país que tem uma empresa que inventa jogos para telemóveis e os vende no exterior para dezenas de mercados.


*Eu conheço um país que tem uma empresa que concebeu um sistema pelo qual você pode escolher, no seu telemóvel, a sala de cinema onde quer ir, o filme que quer ver e a cadeira onde se quer sentar.


*Eu conheço um país que tem uma empresa que inventou um sistema biométrico de pagamento nas bombas de gasolina.


*Eu conheço um país que tem uma empresa que inventou uma bilha de gás muito leve que já ganhou prémios internacionais.


*Eu conheço um país que tem um dos melhores sistemas de Multibanco a nível mundial, permitindo operações inexistentes na Alemanha, Inglaterra ou Estados Unidos.


*Eu conheço um país que revolucionou o sistema financeiro e tem três Bancos nos cinco primeiros da Europa.


*Eu conheço um país que está muito avançado na investigação e produção de energia através das ondas do mar e do vento.


*Eu conheço um país que tem uma empresa que analisa o ADN de plantas e animais e envia os resultados para toda a EU.


*Eu conheço um país que desenvolveu sistemas de gestão inovadores de clientes e de stocks, dirigidos às PMES.


*Eu conheço um país que tem diversas empresas a trabalhar para a NASA e a Agência Espacial Europeia.


*Eu conheço um país que desenvolveu um sistema muito cómodo de passar nas portagens das auto-estradas.


Eu conheço um país que inventou e produz um medicamento anti-epiléptico para o mercado mundial.


*Eu conheço um país que é líder mundial na produção de rolhas de cortiça.


*Eu conheço um país que produz um vinho que em duas provas ibéricas superou vários dos melhores vinhos espanhóis.

*Eu conheço um país que inventou e desenvolveu o melhor sistema mundial de pagamento de pré-pagos para telemóveis.

*Eu conheço um país que construiu um conjunto de projectos hoteleiros de excelente qualidade um pelo Mundo.


O leitor, possivelmente, não reconheceu neste país, aquele em que vive... PORTUGAL.

Mas é verdade.Tudo o que leu acima foi feito por empresas fundadas por portugueses, desenvolvidas por portugueses, dirigidas por portugueses, com sede em Portugal, que funcionam com técnicos e trabalhadores portugueses.



Chamam -se, por ordem, Efacec, Fepsa, Ydreams, Mobycomp, GALP, SIBS, BPI, BCP, Totta, BES, CGD, Stab Vida, Altitude Software, Out Systems, WeDo, Quinta do Monte d'Oiro, Brisa Space Services, Bial, Activespace Technologies, Deimos Engenharia, Lusospace, Skysoft, Portugal Telecom Inovação, Grupos Vila Galé, Amorim, Pestana, Porto Bay e BES Turismo.





ISTO AINDA VAI DAR ARRAIAL


É difícil não concordar com este ponto de vista e não fazer também, de imediato, analogias com o que se passa entre nós, quando o desporto nacional predilecto é execrar [demonizar] quem exerce o poder político democrático, numa espúria aliança entre a esquerda extremista e acéfala e a direita pura e dura. Claro que isto, mais dia menos dia, vai dar arraial...
Destaque-se o facto de neste agrupamento circunstancial não pontificar qualquer personalidade com passado ou atributos democráticos. Apenas extremistas da esquerda e gente da escola ou vivência salazarista...

DECOTES SOCIALISTAS


"Sempre acompanhados por jovens muito “irreverentes” mas ainda tão parecidos com os seus avós. Só em público, espero. Pois eu gosto de decotes. Sempre e em qualquer sítio. E gosto de mulheres que não têm medo de os usar, sempre e em qualquer lugar. E que se estão nas tintas para a boçalidade que as rodeia."
Daniel Oliveira no seu Arrastão
E estes decotes socialistas têm um charme de tal ordem que não deixam poucos de esquerda indiferente e põem a direita de olho arregalado e orelha arrebitada. No 31 o Moita de Deus estava verdadeiramente desinsofrido ante a sugestiva e bonita imagem da deputada do PS de Setúbal, de tal sorte que ainda se passa para estas bandas. Nestas coisas também sou um direitista impenitente...

15 dezembro 2009

ALICE VIEIRA - 30 ANOS A ENCANTAR

Alice Vieira celebra três décadas de vida literária
Com mais de 70 livros publicados, a maior parte dos quais destinados aos jovens, Alice Vieria não teme falta de inspiração. Se tal acontecer, basta-lhe sair à rua para encontrar uma história.
Aquela que é para muitos a fundadora da nova literatura portuguesa para jovens celebra hoje, no Teatro São Luiz, em Lisboa, a partir das 17 horas, 30 anos de vida literária e assume-se como uma mulher de rituais. Não passa sem café (bebe uns 20 por dia), nunca viaja sem levar fotografias de entes queridos, nem sem o Mário, o boneco de trapos que é uma espécie de farol no sossego impessoal dos quartos de hotel. Na mala do dia-a-dia, a colunista do "Jornal de Notícias" traz sempre consigo uma carta que uma jovem leitora anónima lhe entregou, numa feira do livro, e sobre quem nada sabe, mas que muito gostaria de encontrar. Diz- -se uma mulher de rituais (só lê provas em papel, embora escreva no computador), adora o "facebook" e de navegar nos blogues
. in JN

O VAZIO DOS "PENSADORES" DO PSD

rototótipo do investigador do pré-crime

.O PRÉ-CRIME! O pré-crime é como a pescada: Antes de o ser, já era.
Porém, ao contrário dos que acham que tal alarvidade só podia ter saído duma mente celerada, o pré-crime resolveria muitos dos problemas da justiça penal.
Desde logo, dispensava-se a fase de investigação. Para quê investigar se qualquer um podia ser declarado pré-criminoso?E, se não havia investigação, não havia segredo, resolvendo-se duma penada o magno problema das fugas ao segredo de justiça.Aqui chegados, porque não substituir a pré-condenação feita actualmente pela comunicação social por uma pré-condenação a sério?
Simples, não acham? Custa a crer qu
e
só Fernando Negrão tenha alcançado tão longe!Já está mais ou menos instalada a ideia de que o PSD é um vazio de ideias e de competências e que no seu seio a criatividade e os saberes estão ao nivel da nulidade. Este, que se julga ser o expert do partido para as questões das leis e da justiça, sai-se com esta pérola que já é motivo de mofa. Cada vez menos o PSD é visto como alternativa seja do que for.Só um dilúvio e uma arca...

TEMPOS A EXIGIREM BOM SENSO E TEMPERANÇA


Daniel Amaral. "Plano para reduzir défice... só em dez anos"

O economista lamenta que os investimentos públicos sejam mal amados pela direita e que Teixeira dos Santos tenha aceitado sem pestanejar as ordens de Bruxelas

Na debilidade em que a economia se encontra, reduzir o défice de 8% para 3% do PIB em apenas quatro anos é de uma violência inaudita. Saliento a aparente resignação com que Teixeira dos Santos acolheu o modelo que Bruxelas quis impingir-lhe: "Consolidação até 2013?
Maior a que ponto? E que tipo de medidas?

O normal seria apontar para um plano de retorno aos máximos inicialmente definidos: 3% para o défice e 60% para a dívida. Para ser eficaz, este plano devia abranger um prazo não inferior a dez anos e ter a cobertura do PSD, pelo menos.
Prolongar o plano de consolidação orçamental pode afectar a credibilidade do país e o rating da República?
Que as empresas de rating prefiram uma consolidação rápida a uma consolidação lenta é natural. O risco é menor. Mas estas empresas, sendo muito exigentes, não são estúpidas. Primeiro, o défice orçamental deve ser encarado em articulação com a dívida pública. Depois será sempre preferível uma consolidação pacífica em dez anos a uma consolidação tumultuosa em quatro. Gostaria de enganar-me, mas o que aí vem é uma perturbação social muito grave.
Muito grave como?

Desemprego muito alto, mas também algo pior que isso: em situações de desespero, de descontrolo, de revolta absoluta - um tal estado de perturbação que leve as pessoas a fazerem coisas que nunca fariam em condições normais. Daqui à tragédia social é um passo.