08 outubro 2011

MADEIRA: A DÍVIDA OCULTA


    © LUSA()




        Alberto João Jardim, o Presidente do Governo Regional da Madeira, viu-se envolvido numa nova polémica, depois de ter sido acusado de ocultar uma dívida de 113,3 milhões da Madeira. Esta descoberta financeira originou uma série de reacções por parte dos políticos portugueses…
        Acompanhe todos os desenvolvimentos deste novo escândalo económico da Madeira e partilhe a sua opinião sobre este tema.
        Madeira: SESARAM e ViaMadeira aumentam em 568 milhões de euros défice e dívida de 2011
        INE e Banco de Portugal dizem que Madeira escondeu 'buraco' nas contas
        Alberto João Jardim rejeita "dívida oculta" e garante não estar a esconder nada
        Seguro desafia Passos Coelho a retirar confiança política a Alberto João Jardim
        Madeira: Défice de 2008, 2009 e 2010 vai ter de ser revisto devido a 'buraco' não contabilizado nas contas
        Jardim diz que nas próximas semanas o Continente vai estar "entretido, a falar mentiras" da região
        Primeiro-ministro diz que situação da Madeira configura "uma irregularidade grave, sem compreeensão" PGR vai analisar caso de omissão da dívida da Madeira
        Alberto João Jardim desvaloriza intenção da PGR analisar o caso
        Seguro acusa Passos Coelho de ser cúmplice da atuação de Alberto João Jardim
        Jardim diz que "pouca coisa mudou" no país e parece que o Estado "ainda quer voltar ao tempo de Salazar"
        Se Passos não quebrar silêncio quanto a Jardim, perde legitimidade para exigir sacrifícios - António José SeguroJardim alerta para a "muita canalhice à solta" na comunicação social
        Situação na Madeira revela "total irresponsabilidade dos governos em gerir impostos" - Soares dos Santos
        Deputado do PS eleito pela Madeira suspende mandato em discordância com posições sobre o arquipélago
        Moody's baixa 'rating' da Madeira

        NOVO PRESIDENTE DO SECRETARIADO REGIONAL DO PS/AÇORES

                                         

        Vasco Cordeiro escolhido para suceder a Carlos César
        O Secretariado Regional do PS/Açores escolheu hoje, por unanimidade, Vasco Cordeiro, actual secretário regional da Economia, como candidato do partido à presidência do Governo dos Açores nas eleições regionais de 2012.A escolha de Vasco Cordeiro terá ainda que ser ractificada pela Comissão Regional do PS/Açores, o principal órgão entre congressos, que está reunida desde as 15:00 (16:00 em Lisboa) em Ponta Delgada.O nome de Vasco Cordeiro era apontado há algumas semanas como o mais provável sucessor de Carlos César caso o atual presidente do executivo decidisse não   voltar a candidatar-se, como veio a ser anunciado na última sexta-feira.Na reunião do Secretariado Regional que acabou ao final da manhã de hoje, Vasco Cordeiro conquistou os votos favoráveis dos 24 elementos presentes, numa votação por voto secreto.
        É ASSIM NOS AÇORES...  DE GENTE CALMA E CIVILIZADA!!!...

        A MADEIRA JÁ NÃO É O QUE ERA



        «O presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, foi hoje recebido com apupos mas também com vivas durante a inauguração de um troço da nova ligação em Via Expresso entre Boaventura e São Vicente, no Concelho de São Vicente.Enquanto alguns trabalhadores da construção civil da empresa Tâmega em greve por tempo indeterminado pelo pagamento do mês de setembro e do subsídio de férias, com uma faixa "Os trabalhadores não vão pagar o que a RAM e os patrões estão a roubar", gritavam "queremos os nossos salários" uma delegação de candidatos do PND-M vociferavam "Não faças batota eleitoral" e "ditador".» [Expresso]

        UM IMBRÓGLIO

         


        A 27 de Julho de 2010 soube-se que Jardim Gonçalves, fundador e presidente do BCP, bem como Filipe Pinhal (vice-presidente), Christopher de Beck e António Rodrigues (administradores), todos acusados dos crimes de manipulação de mercado e falsificação de documentos, iam a julgamento. Jardim Gonçalves, que já estava inibido de exercer cargos na área financeira durante nove anos, também foi condenado pelo Banco de Portugal, em Maio de 2010, a pagar uma coima de um milhão de euros por prestação de informação falsa relativa a 17 offshores geridos pelo Millennium BCP. Fora do julgamento ficavam Alípio Dias, António Castro Henriques e Luís Gomes, a quem o BdP aplicou coimas. Os acusados recorreram. Ontem, o juiz António da Hora mandou anular o processo. O BdP vai recorrer. Em vista disto, a acusação do Ministério Público, decorrente da condenação do BdP, foi suspensa.
        in Da Literatura

        POBRES MADEIRENSES

                                                                                                      

        Pobres madeirenses

        Pobres madeirenses, pobres os que gostariam de viver em democracia mas como não se sujeitaram aos ditames dos vendedores de sifões de retrete foram forçados a viver num gueto, pobres os que continuaram miseráveis depois de irem beber ponchas a todas as festarolas organizadas pelo Alberto e agora continuam tão pobres como eram e ainda vão ter de pagar a despesa da festa, pobres de espírito os que se venderam e a troco de um tacho ou um mero lugar no funcionalismos se metamorfosearam em canídeos, pobres os que pensavam que o esquema era interno e agora estão confinados a uma ilha de ontem terão vergonha de sair.
         Pobres também dos políticos nacionais que ao longo de três décadas elogiaram a obra do Alberto, que foram às festas na Lagoa de Chã da Ladeira onde de chapéu de palha se embebedavam com ponchas enquanto o Alberto os exibia como caniches a que ajudava a comer na capital, pobres dos presidentes que não tiveram a coragem de denunciar uma situação intolerável, pobres dos políticos que não tiveram a coragem do o criticar olhando-o nos olhos e em vez disso o elogiaram cobardemente, pobres dos primeiros-ministros que se sujeitaram à sua chantagem.
        Muito provavelmente o Alberto renovará a maioria absoluta e como é prática aqui no Continente vai exibi-la como prova da sua inocência, como um veredicto de valor jurídico superior ao dos tribunais, o regime madeirense vai sobreviver penosamente durante mais algum tempo. Mas mesmo em vésperas de umas eleições em que os corruptos, os jornalistas poucos dignos desse nome, os proxenetas do dinheiro dos contribuintes, os párocos e todos aqueles que estão envolvidos no regime madeirense vão ajudar o Alberto a vencer é evidente que o Alberto é um derrotado, vence o presente mas já venceu o futuro. É um político morto que por causa da fragilidade da democracia ficou por enterrar.
        Não voltaremos a ver o Alberto inchado nos congressos do PSD com os candidatos à liderança aguardando ansiosamente pela sua bênção enquanto dos delegados ovacionavam o absurdo grotesco da Madeira quase até à histeria. Não voltaremos a ver políticos supostamente responsáveis a elogiar a grande obra madeirense. Para aqueles que o bajulavam vai passar a ser sarna, pelo menos neste caso a cobardia e falta de dignidade que grassa nas nossas elites terá um efeito positivo.
        O país vai herdar muito mais do que uma dívida feita às escondidas, a Madeira tem um modelo económico falido, um fisco nas mãos de um poder que actua sem limites e em seu benefício, uma estrutura social típica daquelas que são herdadas das ditaduras, com as elites locais fortemente comprometidas no passado.
        O Alberto João é um cadáver político que sabe que a seu tempo verá o seu funeral agendado, mas ao contrário de outros que fugiram, resignaram ou se suicidaram num bunker a vinte metro do solo o Alberto vai poder continuar no poder durante algum tempo, ainda vai a tempo de construir a obra do regime a que dará o seu nome mesmo sabendo que uns tempos depois o povo que o aplaudiu lhe vai mudar a designação, será a Ponte 25 de Abril de lá do sítio.
        Hiperligações para esta mensagem


        Miguel Sousa Tavares, Realidades, Mentiras e Vaidades, hoje no Expresso. Excerto relativo à secção Mentiras. Sublinhados meus:
        «[...] Andam para aí uns amigos de longa data do dr. Jardim, gente que, no poder, lhe consentiu tudo em nome dos interesses do partido, a tentar convencer-nos de que ele não fez nada de mais que o eng.º Sócrates não tivesse feito também. Ora, convém recordar algumas evidências: o endividamento da Madeira é três vezes superior, em percentagem, ao do país, apesar de contribuir com zero para a receita do Estado e de não ter de suportar os chamados custos de soberania; que eu saiba, Sócrates foi acusado de criar défice, não de o esconder, deliberadamente: as SCUT, o BPN, as parcerias público-privadas, tudo isso foi feito à luz do dia e foi, muitas vezes, criticado pelo Tribunal de Contas — mas nunca este disse que tinha descoberto défices voluntariamente escondidos, conforme Jardim se gaba de ter feito na Madeira. E, ao contrário do que sucede na Madeira há 33 anos, Sócrates ia ao Parlamento de quinze em quinze dias prestar contas, responder à oposição, ser confrontado com as suas políticas. (Aliás, tanto isso nunca pareceu uma questão importante para o PSD que, na última campanha para as legislativas, a de 2009, se bem se lembram, o PSD de Manuela Ferreira Leite escolheu a “ameaça às liberdades”, e não o estado da economia ou das contas públicas, como cavalo de batalha).
        A tentativa de confundir as circunstâncias do défice deixado por Sócrates com as de Jardim, na Madeira, é pura e simples desonestidade política. Mas ver alguém como Manuela Ferreira Leite (que foi quem inaugurou as artimanhas criativas para esconder o défice), a encabeçar essa campanha é deplorável. Porque será que os políticos acham sempre que as pessoas não têm memória? [...]»

        07 outubro 2011

        QUAL SERÁ A SERVENTIA DE MEDINA CARREIRA?...



                                                                                    
        Medina Carreira afirmou na TVI24 que ela, Constituição, "não serve para nada [porque] não paga despesa nenhuma".
        Ouvir o Medina Carreira é olhar para um túnel sem luz ao fundo. Por ele, o nosso Nostradamos prendia todos os ex-governantes pelo que fizeram ao país e fazia o que eles não fizeram, transformar o trabalho assalariado em trabalho escravo e se necessário até de chicote. Felizmente quando esteve ele no governo deste país nunca fez aquilo que acusa os outros de não terem feito. Mas, há sempre uma desculpa, a Constituição. É uma chatice, só cria problemas e empecilhos. Felizmente, porque isso faz com que já sirva para muita coisa.
        Mas, melhor que eu diz o Manuel António Pina no "JN" Ora a Constituição, mesmo não pagando "despesa nenhuma", serve obviamente para alguma coisa: para Medina Carreira ter sobre que falar. Dir-se-á ainda que as circunstâncias de Medina Carreira o contradizem, já que as suas prestações televisivas não servem para nada e, contudo, pagam-lhe as despesas.»

        Silva Pereira acusa Cavaco Silva de ter mudar de discurso e de atitude consoante o Governo. O ex-ministro de Estado e da Presidência de José Sócrates diz que o segundo mandato do Presidente da República pode ser dividido em duas "fases bem distintas": a primeira de "intensificação do combate político ao Governo socialista" e a segunda de "convergência política com o Governo PSD-CDS".
        "Duas fases, dois governos, duas atitudes, dois discursos presidenciais contraditórios", defende o antigo braço direito de Sócrates.
        O ex-ministro socialista compara o discursos de Cavaco Silva na sua tomada de posse e o que o Presidente proferiu na cerimónia do 5 de Outubro para mostrar as diferenças. Silva Pereira defende que o "combate político" ao governo de Sócrates "iniciou-se com o discurso de tomada de posse do Presidente da Republica" em que este "conseguiu estar 45 minutos a descrever as dificuldades da economia portuguesa sem nunca fazer a mais pequena referência à maior crise internacional", "à crise das dívidas soberanas" e onde Cavaco Silva fez questão de não "insultar os mercados"".
        "Que diz agora, poucos meses depois (mas já com novo Governo), o mesmo Presidente da República?", questiona. "Acredite-se ou não, começou, precisamente, por contextualizar a crise da economia portuguesa na crise internacional e na crise do euro! Não tinha passado o primeiro minuto de discurso e já o Presidente dizia: "No plano internacional, emergem sinais preocupantes de que a situação económica e financeira se poderá agravar de novo", sublinha.
        Ao longo do artigo de todo o artigo de opinião hoje publicado no Diário Económico, Silva Pereira acusa Cavaco Silva de ter dois pesos e duas medidas, consoante a cor do Governo.
        "O segundo mandato do Presidente da República evidencia, pois, duas fases bem distintas: a primeira, de intensificação do combate político ao Governo socialista, durou apenas alguns dias, iniciou-se com o discurso de tomada de posse do Presidente e terminou com a demissão do então primeiro-ministro. A segunda, de convergência política com o Governo PSD-CDS, teve início com o inusitado discurso orientador da governação proferido pelo Presidente no acto de posse do novo Governo e foi pontuada pela solidariedade política expressa na recente entrevista à TVI e neste discurso do 5 de Outubro", acusa o ex-governante agora na qualidade de jurista.
        Em jeito de conclusão, Silva Pereira reconhece que "não deixaram de se ouvir no dia 5 de Outubro alguns dos tradicionais "avisos" do Presidente". Mas sublinha que "O Presidente vincou o "aviso" de que as medidas de austeridade devem ser acompanhadas de medidas que permitam "a curto prazo, sinais de recuperação económica". Assim diz que "em bom português" se pode resumir o que se passou foi isto: "o Presidente colou-se às medidas recessivas mas demarcou-se da recessão. E dali seguiu para o Palácio de Belém, para receber a visita de populares e turistas.

        O PREÇO CERTO

         
        Novas estimativas negativas para o não-crescimento da economia portuguesa no próximo ano.Reacção de alguns responsáveis : eu previ!Toca de recordar declarações na tv nesse sentido.
        Não sabia que os titulares de cargos públicos , como o governador do Banco de Portugal , ou o primeiro-ministro, se limitavam a acertar no preço certo.Então o que fazem para evitar o desastre que se aproxima.? Para prever já temos muita gente que nem sequer é paga para o efeito... E para entertenimento já temos o Gordo
        .

        DESCUBRA AS DIFERENÇAS...

        Barroso dá "luz verde" a "task force" em Lisboa

        Duraão Barroso, presidente da Comissão Europeia

         
        O presidente da Comissão Europeia aprovou o envio de uma "task force" de técnicos de Bruxelas para Lisboa, solicitada pelo primeiro-ministro português, para assistir as autoridades portuguesas na implementação do memorando da "troika", confirmou à Lusa fonte comunitária.O Diário Económico avançou na sua edição "online" de hoje que Pedro Passos Coelho escreveu uma carta a Durão Barroso a pedir o envio de uma equipa de técnicos da Comissão Europeia para acompanhar em permanência, no Ministério das Finanças, as reformas impostas pelo memorando com a "troika" (Comissão, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), tendo fonte comunitária confirmado à Lusa que o presidente do executivo comunitário deu o seu parecer favorável.
        De acordo com o Diário Económico, a equipa de cinco técnicos, liderada por Herve Carré, antigo diretor do gabinete oficial de estatísticas da UE (Eurostat), irá ajudar as autoridades portuguesas a "agilizar a aplicação das reformas estruturais que estão a ser impostas pelo BCE, Comissão e FMI, ajudando a potenciar a aplicação dos cerca de 15 mil milhões de euros de fundos estruturais, de que Portugal beneficiará nos próximos anos, nas várias alterações legislativas que saltarão para o terreno com o Orçamento do Estado do próximo ano".

        CONSUMO DAS FAMÍLIAS COM QUEDA DRAMÁTICA

        Portugal está a caminho da maior contracção do consumo de que há memória, motivada por uma forte redução do rendimento das famílias.
        O "Jornal de Negócios" escreve que a grande recessão de consumo em Portugal já começou. Irá agravar-se no final deste ano com o imposto extraordinário e continuará, pelo menos, em 2012. O Banco de Portugal sublinha a forte redução do rendimento disponível das famílias como factor explicativo da "queda muito acentuada" que prevê para o consumo privado.
        São muitos os factores que pesarão sobre o orçamento familiar, um menu que o banco central diz que será servido de uma só vez: cada vez menos empregos e empregos mais precários, condições mais restritivas de acesso a crédito bancário, insegurança acrescida sobre o futuro e preços das casas a cair. Isto a juntar a mais impostos pagos e menos prestações recebidas do Estado.

        06 outubro 2011

        PRÉMIO NOBEL DA LITERATURA - 2011


        O poeta Tomas Transtroemer, de 80 anos, foi distinguido hoje com o Nobel da Literatura e é o sétimo autor sueco a ser premiado pela Academia do Nobel.
        O primeiro nome das letras suecas a ser distinguido com o Nobel da Literatura foi a romancista Selma Lagerlof, em 1909, autor do sucesso de vendas "A viagem maravilhosa de Nils Holgerssn através da Suécia", tendo sido também a primeira mulher a receber o prestigiado prémio.
        O galardão só voltaria a ficar em terras suecas em 1916, quando foi distinguido o autor Carl Gustaf Verner von Heidenstam.
        Tomas Tranströmer escreve sobre a morte, a história, a memória e é conhecido pelas suas metáforas. É um poeta que tem uma produção pequena, "não é prolixo", disse no final do anúncio o secretário da Academia, o historiador Peter Englund, embora esteja traduzido em várias línguas. Em Portugal, Tranströmer tem poemas publicados em duas antologias, uma delas chama-se "Vinte e um poetas suecos" Um dos seus poemas é sobre Alfama.

        PORQUE É QUE JARDIM VAI VENCER FOLGADAMENTE?

        Não tem que saber. Jardim apregoa ao povo madeirense com o seu megafone de soba que, caso não vença as eleições, os madeirenses correm o risco de ver a sua vida penalizada pelas loucuras que transformaram a Ilha da Madeira num queijo Rockfort.
        Faz entender que com ele há a possibilidade de continuar o rega-bofe e a música do Brinquinho e que o seu afastamento implicará a entrada de alguém que nunca terá a sua força para meter na ordem o Sr. Silva e os cubanos do PSD Nacional.
        Os madeirenses não são parvos.
        Sabem que mais tarde ou mais cedo irão ter de alombar com tudo isto mas não esquecem que também eles são portugueses e que, à boa maneira nacional, equacionam o teorema de Jardim: "enquanto o pau vai e vem, folgam as costas".
        Também sabem efectivamente que só Alberto João tem a cara de pau que remete ao silêncio os Srs. Silva deste País e que só ele consegue atemorizar o Terreiro do Paço levando-o a dissolver a pastilha madeirense no copo de vinagre que todos iremos tomar...

        da Barbearia do Sr Luis 

        OS SENHORES ABSOLUTOS

        WEHAVEKAOSINTHEGARDEN - Há 7 horas


        Olhando para onde o PSD é agora Rei e Senhor, Belém, São Bento e Madeira, esta é a realidade e a qualidade da governação que demonstram. Estranho é que ainda haja quem lhes dê o seu voto.

        HMENAGEM A STEVE JOBS


        A homenagem a Jobs que já valeu uma oferta de emprego
        Sucedem-se as homenagens ao génio de Steve Jobs, mas uma imagem que se destacou hoje pela originalidade está a fazer furor na Internet - e até já valeu ao autor uma oferta de emprego. A imagem acima foi criada por Jonathan Mak, estudante de 19 anos da Escola de Design da Universidade Politécnica de Hong Kong, em homenagem ao co-fundador da Apple que morreu esta madrugada vítima de cancro no pâncreas.
        Na ilustração, o logo da Apple é modificado de forma a que o pedaço que falta da maçã se torna no perfil de Steve Jobs.DN

        CARLOS CÉSAR ANUNCIA SE CONCORRE A NOVO MANDATO

        Carlos César

        Carlos César anuncia amanhã se vai candidatar-se a novo mandato Regional 
          Um dos segredos mais bem guardados nos Açores vai ser finalmente revelado na sexta-feira quando Carlos César anunciar se pretende ou não candidatar-se a um novo mandato como presidente do Governo Regional nas eleições de 2012.
        A decisão de Carlos César foi dada a conhecer apenas a um grupo restrito de sete pessoas em Janeiro, tendo constituído uma surpresa a forma como foi mantida em rigoroso segredo durante oito meses.
        Apesar dos rumores, mais intensos nas últimas semanas, sobre o futuro do líder regional socialista, nenhum dos cenários mais comentados ganhou consistência suficiente para poder ser apontado como certo. 
        Um líder discreto e eficiente,  muito apreciado pela sua postura correcta e civilizada a traduzir muito bem o modo de ser do povo açoriano, constituindo  um vincado contraste com o que se passa na outra Região atlântica.                                                                            
        Açoriano  Oriental
            

        ESTRANGEIRADOS LARANJA

        Antes de ser PM, Pedro Passos Coelho especializou-se em dar entrevistas à imprensa estrangeira, onde denegria o país e o governo. Depois de eleito, aproveita as estadias lá por fora para mandar recados cá para dentro.
        Agora, os ministros seguem-lhe exemplo. Nuno Crato, em vez de anunciar os cortes na Educação em conferência e imprensa, ou na AR, deu uma entrevista à imprensa estrangeira. Vai cortar 600 milhões, cerca do triplo do montante exigido pela troika. Um dos efeitos dos cortes cegos vai atingir a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa que deixou de ter dinheiro para pagar bolsas e contratos de trabalho associados aos projectos de investigação. Cortes a bem da educação, claro... que volta a ser apenas para as elites, como no tempo do Estado Novo.
        De corte em corte, este governo faz o país recuar 40 anos. A bem do combate ao défice, obviamente... e do bem estar de alguns que ocupam as cadeiras do poder.

        O PARTO DIFÍCIL DO ORÇAMENTO DO ESTADO - 2012

        Parto difícil

        O ministro das Finanças foi adiando a data-limite de entrega das propostas de orçamento dos serviços do Estado. Isso era a prova das dificuldades sentidas pelos serviços para meter o Rossio na rua da Bestega ou, dito de outra forma, para acomodar as propostas de orçamento nos pouco realistas plafonds impostos.
        Foi possível ir acompanhando (aqui e aqui) a atabalhoada entrega das propostas de orçamento até ao dia em que o Ministério das Finanças, ultrapassado o último prazo fixado, decidiu que transparência a mais complica a governação: o sítio da Direcção Geral do Orçamento entrou em coma profunda e ninguém o conseguiu reanimar.

        Assim sendo, a notícia hoje conhecida de que o Governo não consegue aprovar em Conselho de Ministros o Orçamento do Estado para 2012, falhando a meta que o próprio governo fixou em 7 de Julho, não é propriamente uma surpresa. É o sinal de que Vítor Gaspar está a pôr os pés no mundo real. E é muito provável que, desta feita, ele não peça desculpa pelo atraso, ao contrário do que fez quando chegou atrasado um minuto à sua primeira conferência de imprensa

        O IMPROVÁVEL DEFENSOR DA CLASSE TRABALHADORA


        O  Alberto João Jardim, manifestou-se  contra aquilo que apelida de uma lei para despedir sem justa causa, que o Governo PSD/CDS pretenderá levar à Assembleia da República".
        Como não estamos a ver o Bicho da Madeira como um perigoso comunista  defensor da classe  trabalhadora só podemos imaginar que pretenderá evitar, sim,  o seu próprio despedimento para o qual  sobra  justa causa  como prova esta notícia:
        Vítor Gaspar diz que o buraco da Madeira é de 6 mil 328 milhões de euros mas pode ainda ser maior. A auditoria das Finanças conta apenas com os encargos assumidas até ao final de Junho. Segundo o semanário Expresso, este ano, o governo regional da madeirense assumiu pagamentos futuros num valor de 357 milhões de euros, com obras lançadas em 2011. O Jornal Público vai mais longe e diz que a dívida poderá chegar aos 8 mil milhões...(OITO BILIÕES DE EUROS)

        STEVE JOBS - O FUNDADOR DA "APPLE"

        1955-2011

        1955-2011
        iPhoneA morte é provavelmente a melhor invenção da vida, disse Steve Jobs em 2005, meses depois de saber que tinha cancro. Morreu ontem, aos 56 anos. O fundador da Apple é filho de Abdulfattah John Jandali, um muçulmano sírio, e de Joanne Schieble, uma americana. O apelido Jobs é uma homenagem à mãe adoptiva, Clara Jobs, a mulher arménia que o criou. (Os pais não tinham condições, ou paciência, ou ambas as coisas, para educar os filhos.) Steve Jobs é irmão de Mona Simpson, bióloga e romancista. A Apple foi fundada em 1976, quando Jobs tinha 21 anos, mudando para sempre a vida de milhões de pessoas em todo o mundo. Não deixa de ser irónico que tenha sido um budista a materializar o sonho. A foto é de 1984
        Em sua homenagem, recomendamos que vejam o seu discurso auto-biográfico em Stanford . Aqui " Stay hungry. Stay foolish".

        05 outubro 2011

        R.A.da MADEIRA

        Maximiano Martins

        Em tudo o que se tem dito sobre a Madeira falta um elemento importante para a saída do imbróglio: Maximiano Martins, que conheci como deputado na AR, e é actualmente o candidato do PS nestas eleições regionais, tem um verdadeiro perfil de governante sério e competente. Pode ser a chave da solução para o problema da perpetuação de Alberto João Jardim à frente da RAM, que o PSD nacional foi incapaz de resolver a tempo. Há muito tempo.

        CAVACO E A SUA VACA SORRIDENTE


        A vaca ( que ri) de Cavaco
                                                                        
                                                                                             
        É uma forma triste e miserável esta de comemorar a República com a unidade nacional a ser posta em causa para se proteger trinta famílias da Madeira mais os grupos especializado nos negócios de sifões de retrete. É ainda mais triste porque políticos de pequena estatura humana e moral dão cobertura à república das bananas do Atlântico Sul e porque um presidente em vez de afirmar a defesa da dignidade nacional opta por falar em vacas sorridentes.

        PRÉMIO NOBEL DA FÍSICA

        O prémio foi atribuído aos três cientistas “pela descoberta da aceleração da expansão do Universo através da observação de supernovas distantes”
        O Prémio Nobel da Física foi  atribuído aos norte-americanos Saul Perlmutter, 52 anos, do Lawrence Berkeley National Laboratory (EUA), Brian Schmidt, 44 anos (que tem também nacionalidade australiana), da Universidade Nacional Australiana e Adam Riess, 41 anos, da Universide Johns Hopkins (EUA) “pela descoberta da aceleração da expansão do Universo através da observação de supernovas distantes” anunciou em Estocolmo, a capital sueca, o comité Nobel. Perlmutter recebe metade do montante do prémio; Schmidt e Riess partilham a outra metade.
        O prémio foi atribuído aos três cientistas “pela descoberta da aceleração da expansão do Universo através da observação de supernovas distantes” (Reuters)

        SOBERANIA DE PORTUGAL AMEAÇADA?



        Socialista António Arnaut considera que soberania de Portugal pode estar ameaçada
        O advogado António Arnaut, um dos fundadores do PS, alertou hoje que a "independência e a identidade" de Portugal podem estar ameaçadas se a Europa resvalar para um "buraco sem fundo".

        ESTES COMUNISTAS!...

        Mas não era isto que o PCP queria?


        «O PCP vai realizar a 12 de Outubro uma interpelação ao Governo sobre política de saúde. No encerramento das Jornadas Parlamentares de Torres Novas Bernardino Soares refere que os comunistas irão assim confrontar "o Governo com as consequências de sua política, e com a gravidade da situação que hoje se vive no Serviço Nacional de Saúde".» [DN]


        O COISO DA MADEIRA E O IMAGINÁRIO BLOCO CENTRAL

        Jardim relaciona ataques à Madeira com acordo de bloco central                     
         
        Muitos destes ataques, disse Alberto João Jardim, num comício em Câmara de Lobos, "vêm de direcções gerais, de inspecções, de institutos, da televisão portuguesa, de vários sítios que têm exactamente a mesma máquina dirigente que era do PS".
        O chefe do governo regional considerou que "isto é muito estranho", uma vez que, justificou, "o povo votou a favor do PSD, votou a favor desta coligação e, no entanto, continua o PS a dominar o aparelho de Estado".
        E prosseguiu: "Eu quero saber se por detrás dos votos do povo existe algum acordo de bloco central nas costas do povo".
        Depois de voltar a justificar a política de endividamento seguida pelo Executivo regional -- "O que é que eu devia ter feito? Não ter feito nada, à espera que alguém nos desse dinheiro, ou devia ter feito enquanto houve dinheiro na Europa, nos bancos e no Estado, mesmo à custa de dívida?" -, Jardim pediu a renovação de uma maioria absoluta para o PSD, acenando com o espectro da ingovernabilidade do arquipélago.
        "A única maneira de se formar um governo, caso o PSD não tivesse a maioria absoluta, era um acordo entre oito partidos (...) desde os partidos comunistas aos fascistas. Era uma salada russa, cada um a puxar para o seu lado, a Madeira ingovernável. Se não for o PSD, Lisboa esfrega as mãos de contente, não negoceia coisa nenhuma, vê uma oposição estilhaçada em oito partidos e faz deles o que quer", alertou.
        Manifestando a sua estranheza perante o que considerou "uma aliança em Lisboa entre os interesses económicos, financeiros e políticos contra a Madeira", Jardim defendeu depois que a "campanha contra o povo madeirense" tem por objectivo "esconder os problemas" que disse irem em Lisboa.
        "Vão saber quantas medidas foram tomadas pelo Governo da República que vão ser tragicamente pesadas para todos os portugueses, mas que passaram despercebidas porque se estava a falar da Madeira", sugeriu.

        A REPÚBLICA FAZ HOJE 101 ANOS

        UMA VELHA SENHORA



        A República faz hoje 101 anos.
          

        04 outubro 2011

        O LUGAR DO TIPO É RILHAFOLES


                                                                                        

        O líder do PSD/Madeira
        relaciona o que diz serem "ataques à Madeira", a propósito da dívida do arquipélago, com um alegado "acordo de bloco central" feito "nas costas do povo".
        Muitos destes ataques, disse Alberto João Jardim, num comício em Câmara de Lobos, "vêm de direcções gerais, de inspecções, de institutos, da televisão portuguesa, de vários sítios que têm exactamente a mesma máquina dirigente que era do PS".
        O chefe do governo regional considerou que "isto é muito estranho", uma vez que, justificou, "o povo votou a favor do PSD, votou a favor desta coligação e, no entanto, continua o PS a dominar o aparelho de Estado".
        E prosseguiu: "Eu quero saber se por detrás dos votos do povo existe algum acordo de bloco central nas costas do povo".
        Depois de voltar a justificar a política de endividamento seguida pelo Executivo regional -- "O que é que eu devia ter feito? Não ter feito nada, à espera que alguém nos desse dinheiro, ou devia ter feito enquanto houve dinheiro na Europa, nos bancos e no Estado, mesmo à custa de dívida?" -, Jardim pediu a renovação de uma maioria absoluta para o PSD, acenando com o espectro da ingovernabilidade do arquipélago.
        "A única maneira de se formar um governo, caso o PSD não tivesse a maioria absoluta, era um acordo entre oito partidos (...) desde os partidos comunistas aos fascistas. Era uma salada russa, cada um a puxar para o seu lado, a Madeira ingovernável. Se não for o PSD, Lisboa esfrega as mãos de contente, não negoceia coisa nenhuma, vê uma oposição estilhaçada em oito partidos e faz deles o que quer", alertou.
        Rilhafoles com ele com camisa de forças

        QUEREM BRANQUEAR O FONTISMO CAVAQUISTA?

        Um pequeno exemplo do fontismo cavaquista
         Do Metro de Lisboa e Porto à CP, as empresas públicas de transportes devem mais de 20 mil milhões de euros. Há pessoas que acreditam – concedo que não estão de má fé – que tudo isto se deve a um só governo – o anterior, como há pessoas que acreditam que uma senhora da mitologia católica apareceu, num descampado, em cima de uma oliveira. Quem quer olhar para estas coisas a sério, sabe que a grande aposta nas auto-estradas, ou seja, a aposta no carro contra os transportes colectivos, é obra dos governos de Cavaco Silva entre 1985-95. Joaquim Ferreira do Amaral, ministro das Obras Públicas e Transportes da época, é considerado, na Wikipédia, «o artificie das auto-estradas portuguesas». E todos conhecemos, por exemplo, a sumptuosidade das estações do Metro de Lisboa da expansão iniciada no começo dos anos 90. A estação do Oriente tem a intervenção dos artistas plásticos António Segui, Artur Boyd, Erro, Hundertwasser, Yahou-Kussuma, Joaquim Rodrigo, Abdoulaye Konaté, Sean Scully, Raza, Zao Wou Ki e Magdalena Abakanowic. Tudo em grande. E a monumentalidade calatraviana do apeadeiro ferroviário do Oriente, no Parque Expo? Fontismo puro e duro com o dinheiro que chegava, a rodos, de Bruxelas. Com esta política do final dos anos 80, começo dos anos 90, queriam que as empresas públicas de transporte dessem lucro? O criador de todos os monstros anda, agora, a dissertar sobre o encanto das vaquinhas nos Açores, como se não tivesse a menor responsabilidade nisto tudo. O pecado original na política de transportes, no sufoco do ferroviário a favor do carro, e nos gastos à grande e à portuguesa, encontra-se no «modelo de desenvolvimento» definido após a entrada na União Europeia, nos anos de 85 a 95. O resto é conversa fiada!
        Por Tomás Vasques
        link do post |
        partilhar

        Quarta-feira, 28 de Setembro de 2011
        É a vida...


        • Vital Moreira, Um salto em frente [hoje no Público]: 
          ‘Com este importante pacote legislativo não fica seguramente completa a união orçamental e económica, que a união monetária veio exigir. Impõe-se um impulso adicional de integração a nível das políticas fiscais e sociais. Nem o "mercado interno" nem muito menos a união monetária podem conviver indefinidamente com a falta de harmonização, não somente do IVA, mas também da tributação das empresas e dos rendimentos de capital (sem esquecer a abolição dos paraísos fiscais), nem com as substanciais assimetrias no que respeita ao algumas variáveis mais decisivas em termos orçamentais e macroeconómicos, como a idade de aposentação, a duração do tempo de trabalho ou os níveis mínimos de proteção social. "Dumping fiscal" e "dumping social" não são compatíveis nem com o mercado interno nem com a união monetária, que supõem um level playing field na concorrência entre as empresas, qualquer que seja a sua nacionalidade, e custos sociais relativamente comparáveis entre as diversas economias.’

        DILMA ROUSSEFF OFERECEU COLABORAÇÃO AOS EUROPEUS


        Dilma Rousseff disse hoje em Bruxelas que a União Europeia pode contar com o Brasil para sair da crise da dívida.
        "Vocês podem contar connosco", assegurou Dilma Rousseff, no final da cimeira UE-Brasil.
        O Brasil "está pronto a assumir a sua responsabilidade" nesta matéria, acrescentou a chefe de Estado brasileira.
        A União Europeia (UE) pode contar com o Brasil para sair da crise da dívida, anunciou hoje, em Bruxelas, a Presidente do Brasil, Dilma Rousseff.
        "O Brasil, e aqui estou certa que exprimo também a perspetiva das economias em desenvolvimento, está pronto a assumir a sua responsabilidade num espírito de cooperação. Somos parceiros da UE", assegurou Dilma Rousseff ao presidente do Conselho da UE, Herman Van Rompuy, e ao presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso.
        "Esse é um diálogo em que toda a América do Sul deve estar envolvida", disse a Presidente brasileira, acrescentando que "é por isso que os ministros das Finanças da UNASUL (União das Nações Sul-Americanas) irão encontrar-se nos próximos dias para coordenar posições comuns."
        "Eu penso que é fundamental que haja uma coordenação das políticas entre os países para lidar com a situação económica actual", disse Dilma Rousseff, afirmando que o "único caminho" para sair da crise é uma política de estímulo do crescimento combinada com uma política responsável em matéria tributária.
        "A História mostra-nos que só seremos capazes de superar a crise estimulando o crescimento, juntamente com políticas de estabilidade e políticas sociais que visem a criação de emprego e rendimento", disse.
        "Adoptar ajustes fiscais recessivos não é o suficiente", insistiu. "É precisamente por causa das dificuldades na construção de um consenso político que o mundo hoje está numa situação difícil", sublinhou Dilma Rousseff, apelando ao "sentido de urgência histórica" dos líderes políticos.





        O ALECRIM

        PARA QUE SERVE O ALECRIM:



        Para Que Serve o AlecrimO alecrim é um arbusto rústico e persistente, atinge de 50cm até 2 metros de altura, com folhas coriáceas, resinosas, lineares e verde-escuras na parte superior e verde-acinzentadas na inferior. Elas emanam um forte e agradável aroma. As flores, brancas e rosadas, são muito procuradas pelas abelhas.
        Todos sabem para que serve, a utilidade e as inúmeras vantagens do ginseng.
        O alecrim faz o mesmo efeito que o ginseng e é muito mais económico. Para termos noção,
        um pacote de ginseng para chá custa cerca de 5 euros. Um pacote de alecrim custa menos de um euro e rende, pelo menos, quatro ou cinco vezes mais. Tal como o ginseng, o alecrim faz também aumentar a pressão arterial (embora sejam mais frequentes os casos de taquicardia relacionados com o ginseng).
        O Alecrim tem aplicações muito vastas: utiliza-se para as doenças nos rins, calculoses, vómitos, vertigens e tonturas, indigestões, anemia, reumatismo, diarreia, sistema imunitário, epilepsia, vesícula, cansaço, memória, entre outros.
        É anti-séptico. Pode utilizar-se em lavagens, para problemas de pele (juntamente com outras plantas) e usa-se também como tónico capilar e, junto com a salva, para combater a caspa;
        Tal como o ginseng, é estimulante, favorece a actividade mental (memória), ritmo cardíaco, para problemas de hipotensão (pressão arterial baixa) mas também utiliza-se para os nervos, stress e ansiedade.
        Nos melhores tratamentos para os nervos e stress utilizam-se estimulantes de manhã e calmantes ao fim da tarde.
        Como chá, o alecrim tem um sabor um pouco amargo e é quente, ou seja, tem uma acção fortificante e aquecedora sobre todo o organismo, particularmente o aparelho digestivo, revigorando e aumentando a disposição e a energia, agindo como um anti-depressivo nos casos de esgotamento físico e mental.
        Combate a diabetes e tem propriedades anti-reumáticas.
        Alguns dizem que tomado quente acalma a tosse.
        Também activa as funções do pâncreas e estimula a circulação.
        Externamente, serve para desinfetar feridas e ajudar na cicatrização.
        Para asma: fumo de alecrim ( reduzir a pedaços pequenos as folhas secas. Fazer cigarro e fumar quando ameaçar ataque de asma).
        Para reumatismo, eczemas e contusões: folhas cozidas no vinho usadas externamente.
        Anti-séptico bucal: infusão comum.
        Para sarna: infusão bem forte aplicada externamente.
        Cicatrizante de feridas e tumores: folhas secas reduzidas a pó ou suco.
        Como medicação, só se utilizam folhas de alecrim.
        Galhos floridos secando num vaso na casa estimula a memória.
        Uso caseiro: Insecticida natural, plantado na horta protege as outras plantas.
        Ramos de alecrim frescos, colocados entre as roupas defendem-nas de ataque de traças.
        Desinfectante de alecrim: ferver folhas e pequenos caules de alecrim durante meia hora.
        Quanto menos água mais concentrado será. Espremer e usar para limpar louças e casas de banho.
        Para desengordurar melhor, misturar um pouco de detergente. Guardar na geladeira, dura uma semana.
        Aromaterapia: o óleo essencial de alecrim é utilizado para dores musculares, reumatismo,artrite.
        O uso popular consagra o alecrim como remédio infalível para curar anemias, assim:
        colher um ramo de alecrim, juntar um copo de água (cerca de 200 ml) e deixar ferver durante 5 a 10 minutos, em lume brando. Deixe repousar durante 10 minutos, coar e beber meia chávena todas as manhãs, em jejum, mantendo no frigorífico (geladeira).
        Repetir este tratamento 5 vezes (cerca de 1 litro de chá) consegue-se curar qualquer anemia.

        Tratamento testado para Tonturas e Sequelas de Derrames
        Preparar um chá com:
        . Três cravinhos ou cravos-da-índia, sem cabeça.
        . Uma colher de chá de alecrim
        . Uma colher de chá de erva-doce
        Tomar à noite antes de dormir.

        O Alecrim pode ainda ser usado como tónico capilar e para a caspa. Para isso, faça um chá bem forte com alecrim e salva e juntar ao champô, na proporção de um quarto de chá para um frasco de champô. Pode também preparar uma tintura de alecrim e juntar 10 ou 15 ml ao champô.
        O alecrim parece ter a particularidade de adaptar o nosso sistema imunológico, adequando as respostas às necessidades do organismo, pelo que tem excelentes resultados nas doenças auto-imunes.
        Porém, o chá de alecrim é um gosto desagradável, se for o seu caso e não gostar do sabor, juntar um pouco de erva-doce. O chá com estas duas plantas é óptimo também para combater o mau hálito, no entanto, não é aconselhável a pessoas hipertensas

        NA PÉROLA DO ATLÂNTICO

         
        A administração pública madeirense está muito marcada por ligações familiares e amizades partidárias. Os 35 anos de poder absoluto transformaram o Governo Regional da Madeira numa monarquia hereditária. As lealdades familiares e as amizades partidárias ocupam lugares na administração pública madeirense.
        As centenas de jobs for the boys estão por todo o lado: casas do povo, juntas de freguesia, clubes, empresas públicas, institutos, associações desportivas, etc.. As relações de "primos e primas" e o efeito histórico do "cartão laranja" tomaram conta de uma região autónoma com pouco mais de 260 mil habitantes.
        Na ilha de Alberto João Jardim há sete famílias que há mais de 30 anos estão e mandam no Governo Regional da Madeira.

        03 outubro 2011

        O TECTO ÀS MALVAS



        O governo grego mandou às malvas o tecto do défice para 2011 e 2012. O comunicado oficial é peremptório: Não vamos respeitar. Assim como assim, a próxima tranche da ajuda externa, a chegar, chegará depois da reunião da UE marcada para o próximo dia 13. Papandreou e o seu ministro das Finanças, Evangelos Venizelos, fazem de polícia bom e polícia mau. O primeiro distribui charme e boas maneiras nas capitais do Eixo. O segundo porta-se como um carniceiro.

        Nisto tudo, um detalhe sulfuroso: Venizelos foi às canelas, perdão, às pensões dos militares na reserva (como fizera já aos militares aposentados). Num país com a tradição bélica da Grécia, é capaz de ser o caminho mais rápido para o impensável. A ver vamos.

        O PADROEIRO DOS TRABALHADORES

        líder regional do PSD, Alberto João Jardim, manifestou-se hoje contra aquilo que apelida de uma lei para despedir sem justa causa, que o Governo PSD/CDS está "a remoer na Assembleia da República".
        Como não estou a ver o Bicho da Madeira como um perigoso comunista que defenda quem trabalhe só posso imaginar que pretendia era evitar o seu próprio despedimento. Esqueceu-se é da, justa causa, que no caso dele se aplica perfeitamente, como prova esta notícia:
        Vítor Gaspar diz que o buraco é de 6 mil 328 milhões de euros mas pode ainda ser maior. A auditoria das Finanças conta apenas com os encargos assumidas até ao final de Junho. Segundo o semanário Expresso, este ano, o governo regional da madeira assumiu pagamentos futuros num valor de 357 milhões de euros, com obras lançadas em 2011. O Jornal Público vai mais longe e diz que a dívida poderá chegar aos 8 mil milhões.  Se isto não der cadeia que se tranquem as cadeias,  tragam o Zé do Telhado para lugar-tenente  do bicho e entreguem-lhes esta merda toda


        ".

        O líder conservador mostrou-se arrependido dos comentários que fez
        O líder conservador mostrou-se arrependido dos comentários que fez
        Toby Melville/Reuters
                                     ."Causei má impressão"
        David Cameron pediu ontem desculpas, publicamente, por comentários que fez a duas deputadas e que foram considerados sexistas.
        O primeiro-ministro reconheceu que cometeu um "terrível erro" ao fazer comentários menos apropriadas às deputadas, mas negou ser machista.
        "Peço desculpa pelos comentários, devo agir melhor", disse David Cameron ao jornal inglês "Sunday Times".
        Em causa está a forma como o chefe de Governo inglês se dirigiu a Angela Eagle, deputada trabalhista, e a uma deputada do seu partido, Nadine Dorries."Causei má impressão" À deputada da oposição, David Cameron pediu, durante uma sessão parlamentar e com um tom paternalista, "calma, querida". Nadine Dorries foi descrita por Cameron como "alguém extremamente frustado", uma expressão que provocou o riso generalizado na bancada conservadora.
        Depois da entrevista ao jornal inglês, o líder conservador voltou a desculpar-se na BBC. "Obviamente, disse coisas na Casa dos Comuns que não caíram bem e causei má impressão, arrependo-me profundamente dos comentários que fiz."


        Ler mais: http://aeiou.expresso.pt/david-cameron-pede-desculpa-por-comentarios-machistas=f677956#ixzz1ZkJgz4N7

        DE SEDUTOR A VELHO PORCO...

        DSK: De grande sedutor a 'velho porco'

        Os franceses não gostam de Dominique Strauss-Kahn, não pelo que tenha feito, ou não, no seu quarto de hotel em Nova Iorque, mas simplesmente porque estragou o ambiente.
        Depois do caso DSK, a França não voltará a ser a mesma. À semelhança do que se passou no caso Dreyfus - que, no final do século XIX, confrontou a França com o seu antissemitismo -, esta história de um homem poderoso atraiçoado pela sua libido soa a dobre de finados pela sociedade patriarcal francesa.
        A seguir à prisão de DSK, a sua fama de predador sexual foi ampliada por uma série de revelações. De acordo com a tradição jornalística francesa, a maioria dessas histórias era conhecida, mas nunca tinha sido tornada pública.
        Leia mais na edição de Outubro do Courrier Internacional
        Ler mais: http://aeiou.expresso.pt/dsk-de-grande-sedutor-a-velho-porco=f677508#ixzz1ZkFXz6pj

        VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

         Procuradores dão telefones a vítimas de violência doméstica

        Ministério Público de Almada quer tornar queixas mais rápidas. Projecto pode ser alargado a todo o País. Todas as vítimas de maus tratos do círculo judicial de Almada - que abarca as comarcas de Almada, Seixal e Sesimbra - podem ter acesso aos números de telemóveis e aos e-mails dos cinco procuradores do Ministério Público, todos homens, responsáveis pelos casos de violência doméstica nesta área. Para isso, basta dirigirem-se a um hospital, centro de saúde ou associação de apoio à vítima e pedir os contactos.
        Uma iniciativa que, segundo fonte do Ministério Público garantiu ao DN, pode vir a alargar- -se ao resto do País.
        Os médicos e os enfermeiros que recebam estes casos nos hospitais, mesmo que a vítima não queira, têm acesso aos contactos directos dos procuradores para fazerem a queixa, o que torna o processo mais rápido. Só este ano, no distrito judicial de Lisboa, foram registados 5324 casos de maus tratos.
        Leia mais no e-paper do DN

        O RISCO DE CONTÁGIO DA CRISE GREGA

        O Vice-presidente da Comissão Europeia disse hoje que o risco de contágio da crise grega é proporcional à lentidão e ineficácia da Europa, e à actuação unilateral de alguns países.
        "O risco de contágio da Grécia é evidente", e cresce enquanto não é encontrada uma solução que "acalme os mercados", afirmou hoje Joaquín Almunia, citado pela agência Efe.

        O responsável recordou que a Irlanda e Portugal estão sujeitos a programas de
        ajuda externa, enquanto países como Itália, Espanha e Bélgica poderão enfrentar, no futuro, "problemas de liquidez e de solvência", vindo a necessitar de uma "barreira de protecção".
        De acordo com Almunia, essa protecção deverá ser criada pelo Fundo Europeu de Estabilização Financeira (FEEF), que deve dotar-se de instrumentos que o tornem "credível".
        A respeito da crise profunda que abala a Grécia e ameaça minar os países periféricos, Almunia defendeu o desbloqueio dos 8 mil milhões de euros da segunda ajuda à economia helénica, e deixou críticas à ineficácia e lentidão da acção europeia.

        Jonal de Negócios

        À BRUTA... SUAS ABÉCULAS

         




        A proposta governamental de extinguir preventivamente todas as fundações públicas, incluindo as universidades-fundação, revela bem o estilo deste governo. Primeiro dispara a matar, depois vai ver se havia razões para a matança...
        Será que o Governo não se deu conta de que a extinção liminar de todas as fundações, embora com efeitos suspensos até à sua avaliação global, afectará irremediavelmente a sua gestão e a confiança dos que entram em relação com essas instituições? Não seria mais razoável avaliar as fundações e só depois extinguir as que o merecessem?
        Decididamente, o Governo tomou os freio nos dentes...E como diria o sargento da companhia... suas abéculas!

        MEUS OLHOS TÊM BOCA GRANDE

        “Meus olhos tem boca grande, sempre falam mais do que deviam.  LuaraQ.”


        Meus olhos têm boca grande e  falam sempre de  mais...

        Já respiramos liberdade

        Começo a ter inveja do ar que se respira nas redacções dos jornais, nas sedes partidárias ou nos sindicatos, respira-se liberdade e democracia como não se fazia há quase seis anos, é como se o ar andasse mais oxigenado. Acabou a longa noite da asfixia democrática e este excesso de oxigénio até leva os nossos velhotes a delirar ao ponto de já verem vacas a rir, um dia destes ainda vamos ao Parque Eduardo VII e damos com porcos a andar de bicicleta ou mesmo um rebanho de ovelhas a jogar à bola.
        O pessoal da Presidência já pode telefonar e mandar emails descansados, os assessores já podem combinar manobras com jornalistas sem recearem escutas, os jornalistas já não são obrigados a noticiar maravilhas governamentais, agora respira-se liberdade. O Mário Nogueira anda tão feliz que já não faz esperas ao primeiro-ministro, antes pelo contrário, recebe-o abaixando a cabecinha como se fosse um súbdito da Rainha de Inglaterra a falar com sua majestade, só lhe falta bater os calcanhares. Os sindicatos já não são invadidos por agentes da PSP desorientados pelo trânsito, o direito de um professor chamar filho da puta ao primeiro-ministro já é uma liberdade inviolável.
        Até o PCP parece ter desistido de opor à maioria no parlamento a sua maioria nas ruas, as manifestações da CGTP parecem piqueniques do Bloco de Esquerda, são tão poucos que só não ganham a notoriedade pública do pessoal da Casa dos Segredos porque agora as televisões ignoram-nas. Carvalho da Silva deve estar feliz, a mobilização correu mal mas pelas notícias soube que a PSP foi à manifestação para compor a coisa, até deve ter dado jeito tirarem muitas fotografias pois os manifestantes sempre podiam fazer o sorriso ensaiado para aparecer na primeira página do Público ou na abertura do telejornal da SIC. O empenho policial foi tanto que até a secreta pediu folga na Ongoing e foi à manif.
        O empenho governamental em que tudo corra bem e não se regresse aos tempos escuros da repressão é tal que até assegurou as necessárias verbas orçamentais para que as muitas polícias que nós temos possam estar presentes em todas as iniciativas, assegurando que possamos continuar a respirar este ar oxigenado. Enquanto na Madeira o povo vai mais uma vez votar em liberdade para escolher e, porventura, reforçar a sua maioria absoluta, finamente... os do Contenente e dos Açores sentem a liberdade de quem se livrou da asfixia democrática...